domingo, 10 de outubro de 2010

Psicopatas - Ana Beatriz Barbosa Silva



Psicopatas têm paixão, mas não, COMpaixão! Cuidado quando for namorar! Veja os sinais!

No Roda-viva (TV Cultura) A Dra. Beatriz disse que 15% da população carcerária é de psicopatas. Pra mim esse percentual é válido pra toda a população. Relaxe, poucos são assassinos, esses são apenas os extremos da Psicopatia.
Puxa! Depois dessa entrevista passei a ver o meu herói infantil o Dr. Spok como um psicopata. Ainda bem que o Kirk equilibrava as coisas com sua passionalidade. Caramba! Eu sou do tempo que o herói era o mocinho, o cara bom! Hodiernamente todos torcem pelos bandidos, pelos caras maus.
O Heródoto a certa altura da entrevista, disse que a nossa sociedade evoluiu e está melhor. Concordo com ele, sem dúvida a vida em sociedade ficou melhor, se olharmos o passado a vida era um inferno, só os desinformados ou românticos achocolatados não percebem isso. Mas, Heródoto. A Dra. Beatriz argumentou bem o ponto de vista dela, a sociedade esta melhor graças aos mecanismos jurídicos de controle. Se eles não existissem a vida em sociedade seria insuportável. Não evoluímos tanto assim, no todo ainda precisamos de freios. Ainda somos macacos pelados.

E partilho da opinião da doutora, é raro ver alguém tão lúcido nesse meio. A cada dia, a impunidade, a falta de limites libera o que há de pior no ser humano. Penso que não somos bons, apenas somos bons graças aos limites impostos.
A cada dia somos mais individualistas.
Compaixão, o altruísmo na maioria das vezes só é praticado quando há um público para aplaudir.
A mídia está cheia de exemplos, mas nós também os vemos nas ruas, nas escolas, nas casas. Nossa sociedade precisa aprender a impor limites, e isso começa em casa. Onde vejo e ouço histórias de crianças, adolescentes impondo suas preferências como verdadeiros Ditadores do Lar. Geralmente isso ocorre por causa de pais sem pulso, ou simplesmente indiferentes à educação de seus filhos. Educar dá trabalho. É mais fácil ceder do que controlar. Impor e fazer com que os limites sejam cumpridos é muito desgastante. Muitos usam a desculpa da generalidade: “todos agem assim por que eu serei diferente?” São os famosos pais genéricos.

Ela disse que desde que o Senna saiu de cena, não surgiram mais heróis no Brasil.
Infelizmente é uma grande verdade. Olhe para os ídolos de seus filhos, netos e dos filhos dos seus amigos. Há pais que dizem que são amigos de seus filhos e estampam um orgulho no olhar. Lembre-se: as drogas chegam pelas mãos dos amigos e não pelo pipoqueiro. Não dê uma droga de educação! Não seja amiga seja mãe, não seja amigo, seja pai!
Eles provavelmente não vão falar bem de você para os colegas, mas lhe garanto que vão falar bem de você um dia... para os seus netos!





Alguém conhece a psiquiatra Beatriz?
Preciso marcar uma consulta com ela!
Acho que fiquei louco!!!

Por ela!!!

:0)





Roda Viva - Ana Beatriz Barbosa Silva



NEY MATOGROSSO - Balada do Louco

8 comentários:

Luna disse...

Carlos,

Caramba...hoje eu estaria num Café qualquer, de um Shopping qualquer, com um Homem qualquer...ôps, com um Homem qualquer? Foi bom ver essa matéria, temos que ser mais cautelosos, nunca se sabe onde estão os verdadeiros perversos...(rsss)

Falando sério agora...a Drª Ana Beatriz dá um show e você também com suas observações, embora eu discorde em alguns pontos, acho que 85% do que você diz é pertinente, os outros 15% a gente deixa para discutir um dia qualquer...

Beijos!

Carlos Kurare disse...

Luna,
Domingo 10/10/10 que data legal! Parece coisa mística né?!
Ainda bem que 15% vamos discutir um dia. Na verdade tudo o que eu falo é pertinente, você só não sabe disso ainda... rssss
Mas é bom que existam discordâncias, elas provocam o interesse para a reflexão. "Toda unanimidade é burra" Já dizia o Nelson Rodrigues.
Um beijo!

Lembrei-me de um poema do Mario de Andrade, quer dizer lembrei-me do conceito, ele fala da garoa de são Paulo, e de como ela obscurece a visão. Temos que ficar atentos há muitos loucos e loucas à solta por ai. "De perto ninguém é normal" Caetano Veloso.
Carlos Kurare
Caramba! Responder comentários, montar o Blog, equacionar o fluxo de tempo e espaço da minha máquina do tempo e ensinar meu pai (83) a salvar vídeo do youtube no PC é desgastante, digo prazeiroso. rss

Luna disse...

Nossa!!! Eu não tinha reparado nesse lance da data! O que será que os numerólogos diriam sobre este dia? Bom ou ruim para se conhecer alguém?

Carlos Kurare disse...

Luna,
Bom ou ruim é relativo.
Pra mim foi ruim, pois não conheci nesta data ninguém bom, por outro lado, foi bom, pois em contrapartida não conheci ninguém ruim.
Meu dia acabou num insosso 0 x 0!
Carlos Kurare

Rê Liberato disse...

Boa tarde...

Talvez a maior marca da psicopatia seja a falta de compaixão...não é sofrer por...é sofrer com...para "sofrer com" é preciso proximidade..Alguém com a visão tão estreita do Mundo...o Mundo se concentra no psicopata...seus pensamentos, seus desejos e necessidades, suas análises e impressões...nada existe além dele...Compaixão demanda o outro pelo "com"...estar com...sentir com...sofrer com...isso é próprio da Humanidade...eu penso...se não acreditasse nisso não trabalharia com o que trabalho...o Humano...o diferente ou o contrário disso é a exceção...é o que sai fora do trajeto natural...distante da Natureza...Beijo no coração...hoje estou silenciosa...fui assistir Comer, rezar, amar...e um caos interno se estabeleceu...rsrsrs

Luna disse...

Carlos,

Estava eu vendo alguns vídeos no youtube, quando deparei-me com esta música "Balada para um Louco" com Moacyr Franco. Lembro-me que gostava de ouvi-la quando criança, mas confesso que não havia reparado na doçura da letra...linda!

Presta a atenção na letra, quem a escreveu estava inspiradíssimo... bendita a seja a inspiração dos poetas!

http://www.youtube.com/watch?v=JFD1Z8yI9fo

Luna disse...

Balada Para Um Louco
Moacyr Franco

Num dia desses ou, numa noite dessas
você sai pela sua rua ou, pela sua cidade ou,
ou, sei lá, pela sua vida, quando de repente,
por detrás de uma árvore, apareço eu!!!

Mescla rara de penúltimo mendigo
e primeiro astronauta a pôr os pés em vênus.
Meia melancia na cabeça, uma grossa meia sola em cada pé,
as flores da camisa desenhadas na própria pele
e uma bandeirinha de táxi livre em cada mão.

Ah! ah! ah! Você ri... você ri porque só agora você me viu.
Mas eu flerto com os manequins,
o semáforo da esquina me abre três luzes celestes.
E as rosas da florista estão apaixonadas por mim, juro,
vem, vem, vamos passear. E assim dançando, quase voando eu
te ofereço uma bandeirinha e te digo:

Já sei que já não sou, passei, passou.
A lua nos espera nessa rua é só tentar.
E um coro de astronautas, de anjos e crianças
bailando ao meu redor, te chama:
vem voar.

Já sei que já não sou, passei, passou.
Eu venho das calçadas que o tempo não guardou.
E vendo-te tão triste, te pergunto: O que te falta?
...talvez chegar ao sol, pois eu te levarei.

Ah! Ah! Ah! Ah!

Louco, louco, louco! Foi o que me disseram
quando disse que te amei.
Mas naveguei as águas puras dos teus olhos
e com versos tão antigos, eu quebrei teu coração.

Ah! Ah! Ah! Ah!

Louco, louco, louco, louco, louco! Como um acrobata demente saltarei
dentro do abismo do teu beijo até sentir
que enlouqueci teu coração, e de tão livre, chorarei.

Vem voar comigo querida minha,
entra na minha ilusão super-esporte,
vamos correr pelos telhados com uma andorinha no motor.
Ah! Ah! Ah!
Do Vietnã nos aplaudem: Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
E um anjo, o soldado e uma criança repetem a ciranda
que eu já esqueci...
Vem, eu te ofereço a multidão, rostos brilhando, sorrisos brincando.
Que sou eu? sei lá, um... um tonto, um santo, ou um canto a meia voz.

Já sei que já não sou, nem sei quem sou.
Abraça essa ternura de louco que há em mim.
Derrete com teu beijo a pena de viver.
Angústias, nunca mais!!! Voar, enfim, voaaaarrr!!!

Ama-me como eu sou, passei, passou.
Sepulta os teus amores vamos fugir, buscar,
numa corrida louca o instante que passou,
em busca do que foi, voar, enfim, voaaaarrr!!!

Ah! Ah! Ah! Ah!...

Viva! viva os loucos!!! Viva! viva os loucos que inventaram o amor!
Viva! viva! viva!

Carlos Kurare disse...

Luna,
A letra é do Astor Piazzola.
Um beijão!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...