domingo, 29 de julho de 2012

sábado, 28 de julho de 2012

O amor é sargado! Digo: Sagrado!

O amor é o Glutamato Monossódico da vida!
Carlos Kurare

Consagração - Raíssa Amaral & Sergio Belluco


"Uma lembrança com o Grande Mestre Sergio Napoleão Belluco. Leitura a primeira vista dia 28-04-2011.
Belluco, hoje, possui uma deficiência motora, devido a um AVC, mas, mesmo assim continua tocando.
Arquivo: Raíssa Amaral - Piracicaba / SP - Brasil"

Glutamato monossódico
1. Quím. Sal sódico obtido pela neutralização de uma das carboxilas do ácido glutâmico, e que é us. como intensificador de sabor em culinária, principalmente a de origem chinesa; glutamato de sódio. [Tb. se diz apenas glutamato.]
© O Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa.

Glutamato monossódico
O Glutamato Monossódico (MSG) é o sal sódico do ácido glutâmico, um aminoácido presente em todas as proteínas animais e vegetais.
Muito utilizado na indústria alimentícia, o MSG cria um sabor suave, rico e encorpado e pode ser adicionado em carnes, peixes, frangos, vegetais e frutos do mar, sendo que em muitos países é usado como tempero de mesa. Ainda, em certos alimentos, o MSG pode ajudar a reduzir o conteúdo de sódio sem comprometer o gosto. O MSG contem apenas um terço da quantidade de sódio em comparação ao sal de cozinha.
Wikipedia Português - A enciclopédia livre

Sobre cuidados no uso do GMS veja aqui: http://sbc-pr.org/prescritores/index.php/Departamentos/Hipertensao-Arterial/Efeitos-do-Glutamato-Monossodico-sobre-pacientes-hipertensos.html

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Eu gosto de Bicho!

Meus bichinhos:

...Eu tive dois gatos: um era um vira-latas preto e branco chamado chaninho eu tinha uns nove anos quando o achei na rua e o levei pra casa. Ele dormia comigo apesar de minha mãe não gostar muito dessa parceria. Eu o chamava por assobio ou gritando como o Tarzan, e estivesse onde estivesse ele atendia meu chamado... Um dia ele não atendeu...
O outro gatinho era um Korat Tailandês, achei-o na rua também, pensei que ficaria preto quando crescesse, mas ficou cor de grafite. Eu tinha uns 26 anos na ocasião, estava a serviço em outra cidade, para entrar com ele no hotel o coloquei numa caixa de papelão. Jantei no quarto e pedi leite e presunto para o nosso jantar. Eu era recém-casado e o levei pra casa meio temeroso, Mas ele foi recebido com muito carinho pela minha esposa na ocasião. :o) Ele pesava uns 6 quilos e acredite se quiser: eu o ensinei a fazer pipi na privada. Tenho uma foto dele em pleno alívio urinário, para provar tal façanha. Era um bichano muito inteligente.
Tive um cachorro, o lobo, um vira-lata completamente burro, foi o cachorro mais burro que tive. Ele roeu tudo em casa, literalmente tudo. Não era um cachorro para apto. Doei-o para os meus pais, e foi bom para todos, lá ele tinha um quintal grande e muita tranqueira para roer. O lobo partiu bem velhinho no ano passado. Tive um Cachorro chamado Ghandi, mas ele partiu ainda filhote, tive outro chamado Gazela, dei esse nome a ele devido a agilidade e por ser um ótimo saltador. Foi doado, pois a dona não podia ficar com ele. Era um vira-lata muito legal e tinha um belo porte. Tive um poodle, foi presente para as crianças, também doado, o nome dele era People. Muito inteligente e educado, aprendeu vários truques. Por último a Laika, quando me separei ela ficou, pois era da família, apesar de termos um relacionamento muito pessoal, ela é o bicho mais inteligente que tive de uma sensibilidade ímpar. Limpíssima foi o único canino que permiti que subisse em minha cama. Coisa que ela só faz após pedir e ter aprovação.
A Laika eu comprei, é um pinscher. O único bicho que tive que comprei, exceto pelas galinhas patos, hamster, peixes, tartaruga, galinhas de angola.
Tive um papagaio, também eu o chamava e ele voava cerca de 30 metros até o meu braço. O trouxe da Bahia. Ele apareceu debilitado no campus do Projeto Rondon, tinha um cordão preso à perna, alimentei-o e trouxe-o numa viagem de 33 horas de ônibus para São Paulo. O nome dele era... Louro. Original NE?!
Trouxe também dois calangos que capturei, os soltei no jardim/horta do meu pai, o macho era belíssimo era verde amarelo azul e branco, ele andava no meu ombro. A fêmea vivia enfiada nos buracos que cavava no quintal.
Há dez dias aluguei um quarto e por conta disso passei a conviver com uma cachorrinha poodle, muito bonitinha, chamada bolinha.
Em breve trarei algumas de minhas plantinhas prá cá.
Bem é isso... Gosto muito de pessoas, de animais e de plantas, não necessariamente nessa ordem! ?:0)
Um adendo: tem gente que de tão carente trata animais com um valor superior a seres humanos, Gosto de animais e os trato bem, mas quando vejo pessoas darem mais valores a seus bichos do que a seus pares... isso me deixa desconfortável. Darei um exemplo: Meu gato o Só, se deu bem com o meu filho, mas com a minha filha foi diferente: um dia ele a arranhou na mão, esse incidente fez-me levá-lo para a casa da minha mãe e lá o deixei. Ele nunca mais voltou para o meu apto. Ele era bom para viver com adultos, mas péssimo para conviver com crianças.
Vai adotar ou comprar um animal, informe-se bem antes sobre o comportamento dele ou poderá ter sérios problemas de adaptação entre ambos.
Gosta de animais? Visite o http://matilhaurbana.blogspot.com.br/


Ps.: São 5:23h e há uma hora um gato não para de miar, pelo miado deve ser um filhote. Eita tentação... rsrsr!

E por falar em gatos e cachorras... Essa Rita era uma Gilda hein?!

Indagação...

LOL (Laughing Out Loud):dando gargalhadas (acrônimo de Laughing Out Loud na Internet)




"Perguntei ao mar: O que devo fazer da minha vida?
Ele me respondeu: Nada!"

Ligia Fagundes Telles



É interessante notar que muitas pessoas fazem exatamente isso: Nada!
Você conhece gente que reclama, mas não faz absolutamente nada para mudar sua realidade.
São verdadeiros malucos que fazem sempre a mesma coisa e aguardam resultados diferentes.
Para que haja mudanças faz-se necessário: ... Mudanças!
E para que elas aconteçam é necessário começarmos primeiro a provocar mudanças internas.
Mudar de comportamento é o primeiro passo.
Mude... Ou... nada! 

Carlos Kurare


Dica da frase acima da Profª. Heloisa

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Sacrifício

Bom senso e canja de galinha não fazem mal a ninguém! Né não?
Morrer por uma paixão impossível é prova banal de covardia. 
Os fracos quedam-se! Os fortes... seguem em frente!
Carlos Kurare

SEGUNDO ALTAR

Fabrício Carpinejar

Não tenho nenhuma compaixão por Romeu e Julieta.

Eles não experimentaram nenhuma crise de relacionamento antes do fim.

Nenhuma discussão no trânsito. Uma briguinha para quem iria se levantar para chavear a porta. Não reclamaram dos excessos, da bagunça do quarto ou por voltar tarde e não ser delicado entre amigos. Não provaram do veneno dos costumes, do terror de se entregar demais e perder a cabeça, ou do pudor de se entregar de menos e se afastar.

Conheceram o ímpeto do amor, não o amor.

Não descobriram a medida, o equilíbrio exato de dois corpos, que demora anos de convivência para aparecer.

Para mim, Romeu e Julieta continua sendo apenas um bom charuto.

Mas estrago meu rímel natural com casais que morrem juntos na velhice. Esfolo os joelhos do rosto. Sangro os lábios.

Depois de meio século de vida em comum, um não sobrevive à morte de sua companhia. Desistem. Perdem o sentido de respirar com o enterro da esposa ou do marido. Ficam emparedados pelo passado. A cozinha não terá saída; o quarto não terá lado; a sala não terá janela; a manhã não terá a companhia do café e da leiteira fervendo.

A casa que mais adorava em minha rua José Bonifácio terminou destruída. Residência antiga de dois andares, verde como um pinheiro no alto da montanha, desfrutando inclusive de água-furtada. É agora um poço de ruínas, paredes fatiadas, escombros e uma estranha mesinha para aves descansarem da fartura dos farelos. Não duvido que seja transformada em mais um estacionamento.

Meu filho passa pelo terreno minado com o olhar arrastado, antes recebia balas e brincadeiras de seus moradores Sady e Heidi, que cuidavam com capricho do jardim, dispondo anões e bichos de pedra pelas roseiras. Os dois viveram sessenta anos de casamento. Quando Heidi faleceu neste ano, Sady não durou cinco dias. Seu espírito altivo, lépido e incansável, de quem se acordava às 6h e saracoteava pela cidade, apagou-se repentinamente. A carne cedeu, o rosto murchou, ele adoeceu de ausência. Ambos cumpriram um pacto de vida mais do que de morte. Não admitiram a distância dos sete dias da missa - era muito longe. Não admitiram o aparte de uma semana - era muito tempo. Embarcaram no invisível de ombros dados. Heidi nem entrou no paraíso, esperou na porta seu marido, como se fosse um segundo altar.

O mesmo posso falar de Stella e Dorival Caymmi. Stela deixou a cena 11 dias após a despedida de Dorival. Foram casados durante 68 anos. Dorival morreu porque Stella baixou o hospital em estado grave. Stella morreu quando soube (pela intuição que só os pares de dança têm) que Dorival guardou sua voz no estojo. Um dependia do outro.

Não aceitaram a viuvez. A viuvez era também uma infidelidade. Uma traição ao casamento. Mostraram a Deus que não é ele que manda aqui, ajuda ou atrapalha, não manda. O livre-arbítrio é da lealdade. Escolher a hora de pôr a aliança, e escolher a hora de se pôr na aliança.
Fonte: http://www.fabriciocarpinejar.blogger.com.br/2008_08_01_archive.html
Dica da Luna - Brasília - DF


Marisa Monte & Cesária Évora - É Doce Morrer no Mar - Música de Dorival Caymmi


Ouça na voz maravilhosa do Caymmi: autor e intérprete desta beleza sem igual. No vídeo criador e criatura se encontram.
Saudades meu velho!
Kurare


Dorival Caymmi - É doce morrer no mar (1959)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Falta pouco... pra 1 milhão

No ritmo que os acessos ao blog ocorrem este humilde blog deverá chegar ao mês de setembro ao incrível número de Um Milhão de Visitas. Estou animado com esse número, sinto uma euforia efervescer em minhas artérias! Quando instalei o contador do Blogger (do Google) em julho de 2010 a primeira contagem mensal foi de 7.190 visitas. Eu naquela ocasião me surpreendi com o número de visitas, até então eu pensava que somente os amigos mais próximos liam o meu blog, ou seja, eu pensava ter por volta de umas duas visitas por dia.  ?:o)...Dois anos se passaram e  ao custo de muito suor, dor e lágrimas, hoje atinjo esse imenso número de visitas. Levando-se em conta as minhas vicissitudes: postar diariamente implica em dedicação e perseverança! Só os amigos próximos e eu sabemos o quanto de porcaria por cá há! Digo, o quanto de sacrifício há cá!  ?:0)
Saiba que a sua visita é o bálsamo que me alivia dores e cicatriza feridas. Ter você aqui, diariamente comigo, a partilhar humor, pensamentos e emoções é uma imensa alegria!
Carlos Kurare






Enviado por noitedaserestapiraci em 24/03/2009

Curare (Bororó)

Você tem boniteza e a natureza foi quem agiu
Com esses olhos de índia curare no corpo que é bem Brasil
Você é toda a Bahia, é a flor no campo da gente de cor
Faz do amor confusão
Numa misturação bem banzeira
inzoneira, que tem raça e tradição
Que é pra machucar minha dor
Nega, neguinha, tudo, tudinho
Meu amorzinho com essa boquinha vermelhinha
Que rasgadinha tem veneno como quê
Conta tristeza e alegria pro seu bem
Que vive a dizer
Que você é diferente de toda essa gente que finge querer

[You have the nature was beautiful and who acted
With those eyes of Indian curare in the body that is Brazil
You are all the Bahia is the flower in the field of people of color
Love makes the confusion
In miscellany well surprising
Tricky, race and tradition that has
What is it hurt my pain
Brunette, litlle brunette, everything, all...
My baby with that mouth litlle red
What is poison and what little torn
Account sadness and joy to his well
Living to tell

Reunião de amigos na comemoração do aniversário do Valter de Souza, em Limeira / SP, no dia 14/03/2009.

Alessandro Penezzi (flauta), Antonio Carlos Fioravante Bolão (voz), Prof. Sergio Napoleão Belluco (violão 7 cordas), Mauro (violão 7 cordas), Gerson Gimenez (bandolim), Taufik Cury (violão), Valter de Souza (cavaquinho), Raul Leite (pandeiro), Raíssa Amaral ..., Odair Prates (percussão = colheres), Teodolito Fontes ... do Cavaquinho de Cosmópolis, Roberto Saglietti Mahn Seresteiro, ....

(Arquivo Raíssa Amaral - Piracicaba / SP - Brasil)
You are all that different from people who want to pretend

"Curare" é o segundo sucesso de Alberto de Castro Simoens da Silva, o afamado boêmio carioca Bororó, violonista e compositor nas horas vagas, cuja obra praticamente se resume a duas músicas, ambas clássicos.

Bororó foi o padrinho da carreira artística de Orlando Silva, que em 1939 ficou enciumado por não ter gravado "Da cor do pecado", o outro clássico, lançado por Sílvio Caldas. Então o compositor deu-lhe "Curare", como compensação.

Além da letra brejeira, a construção harmônica da segunda parte, especialmente a frase final, uma seqüência avançada para época, tornam este samba atraente para intérpretes, como João Gilberto, interessados em músicas de concepção mais elaborada.

Curare (samba, 1940)- Bororó - Interpretação: Orlando Silva

Read more: http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/04/curare.html#ixzz209GitfU3

"Sexo antes... amor depois!"

Sexo bom tem que ser quente e selvagem!
É conveniente servir doses de lirismo, antes e depois.
NUNCA Durante!!! 
Carlos Kurare
Sampa - 19/06/12

@@@@@@@@@@@@@@@@

lirismo
[De lira1 + -ismo.]
Substantivo masculino.
1. Caráter de poesia lírica.
2. O conjunto da poesia lírica:
a história do lirismo português.
3. Subjetivismo poético:
Sua poesia é de intenso lirismo.
4. Modo de exprimir-se em arte que evoca a poesia lírica:
o lirismo de Chopin.
5. Fig. Maneira apaixonada, poética, de sentir, de viver; entusiasmo, ardor, exaltação.
6. Estét. Segundo o crítico italiano Benedetto Croce (v. crociano), símbolo da arte em geral, como expressão de sentimentos.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

As pessoas mudam...

Eu MUDO!!!
... É como eu digo: tudo é passível de mudança, até as pessoas mais obtusas mudam! Eu sou uma prova viva disso! Eu mudei! Sim mudei de endereço! Agora não moro mais com meus pais (fui vítima das circunstâncias: eles mudaram a fechadura da porta e compraram um Pitbull!)!
Agora sou um menino independente.

Quero agradecer a minha locadora pelo carinho com o qual me recebeu e informá-la que o cheque que lhe dei como adiantamento de aluguel é tão quente como as noites paulistanas! :o)

O frio aqui em Sampa está tão intenso que ontem tive que tirar a tapas o pinguim, de geladeira, que insistia em ficar debaixo do meu cobertor.

Bem... tudo isso é uma pequena introdução para dizer que estou muito feliz, este ano que começou de forma sinistra e arrastou-se nos primeiros meses como um réptil frio e sinuoso, acabou por me surpreender, conheci pessoas maravilhosas, gente da melhor qualidade. As aulas de Pilates, dos competentes fisioterapeutas: Ronaldo e Emely, têm me feito muito bem, provavelmente em mais um mês já não dependerei mais da bengala, exceto é claro para usá-la como argumento para usar os carrinhos elétricos dos supermercados.

Como as editoras deste país procuram escritores mais competentes verei a possibilidade de bancar até o final do ano um dos meus livros. O primeiro será uma coletânea de frases, penso em colocara algumas frases inéditas. Ou não! Verei a possibilidade de comercializá-los por cá pelo Blog. Como tenho muitos amigos, já garanti uma primeira edição de 5 exemplares! Todos serão mimeografados e, se o álcool permitir, talvez consiga fazer uma edição extra pra você. Mande-me um email e me diga quantos dois vai querer!

terça-feira, 17 de julho de 2012

O Selvagem da Motocicleta


A piada abaixo foi-me enviada por email pela Silvana Bacana... Silvana Ri muito menina!
Um beijo do Carlão Kurare!
?:0)

"OI CARLÃO, essa é pra você rir um pouquinho ..."
 Silvana Bacana

Filme: Easy Rider - Sem Destino
"Vinha pela estrada uma caravana de motociclistas fortes, bigodudos, em suas poderosas motos, quando de repente eles veem uma garota a ponto de saltar de uma ponte de um rio.
Eles param e o líder deles, particularmente corpulento e de aspecto rude, de nome Carlão, salta, se dirige a ela e pergunta:
- Que diabos você está fazendo??
- Vou me suicidar - Responde suavemente a delicada garota com a voz cadenciada e ameaçando pular.
O motociclista pensa por alguns segundos e finalmente diz:
- Bom, antes de saltar, por que não me dá um beijo?
Ela acena com a cabeça, se vira de lado e dá um beijo longo e apaixonado na boca do motociclista parrudão.
Depois desta intensa experiência, a gangue de motoqueiros aplaude, o líder recupera o fôlego, alisa a calva e admite:
- Este foi o melhor beijo que me deram na vida. É um talento que se perderá caso você se suicide. Por que quer se matar?


- Meus pais não gostam que eu me vista de mulher!!!"


Foi engano? Foi não!!!

Foi engano! - humor - Pegadinha do Mução

Easy Rider - Sem Destino

domingo, 15 de julho de 2012

Eu sou jovem!

 Quantos desses não teremos perdidos pelo Brasil? Escolinha de futebol vemos em muitos lugares, mas incentivo à ciência...
Carlos Kurare


"Garoto de 15 anos cria método 28 vezes mais rápido para detecção do câncer
Jack Andraka recebeu US$ 75 mil por sua invenção. Fórmula é ainda 28 vezes menos cara e 100 vezes mais sensível que os recursos atuais
28 de Maio de 2012 | 17:48h

Divulgação / Intel ISEF
Jack Andraka
O americano Jack Andraka foi o grande vencedor da Intel ISEF 2012, evento realizado nos Estados Unidos para promover as invenções de jovens cientistas espalhados pelo mundo. Jack, de apenas 15 anos, venceu o concurso após criar um método para detectar o câncer de pâncreas que é até 28 vezes mais rápido, 28 vezes menos caro e 100 vezes mais sensível que os recursos atuais.

O adolescente elaborou um sensor que identifica, por meio de um exame feito por uma pequena quantidade de sangue ou urina, se o paciente tem ou não câncer pancreático, ainda em sua fase inicial. O estudo resultou em mais de 90% de precisão. Pela invenção, Jack ganhou US$ 75 mil e recebeu o prêmio mundial de Inovação Jovem Cientista da Fundação Intel das mãos de Gordon E. Moore, co-fundador e presidente aposentado da empresa.

O segundo lugar do concurso ficou com Nicholas Schiefer. O canadense de 17 anos estudou o que ele chama de "microsearch", e analisou pequenas quantidades de conteúdo, como tweets e atualizações de status do Facebook. Com isso, Nicholas espera melhorar os mecanismos de motores de busca e, assim, aperfeiçoar o acesso à informação.

Já o americano Ari Dyckvosky, de 18 anos, levou o terceiro lugar ao investigar a ciência do teletransporte quântico. O estudante descobriu que os átomos estão ligados através de um processo chamado "entrelaçamento", um método em que a informação de um átomo só vai aparecer em outro átomo quando o estado quântico do primeiro átomo é destruído. Apesar de parecer complicado, as organizações que requerem altos níveis de segurança de dados poderiam utilizar o recurso para enviar uma mensagem criptografada, sem correr o risco de intercepção, por exemplo.

Nicholas e Ari levaram US$ 50 mil por suas invenções. Os jovens e suas criações foram selecionados entre os destaques de 446 feiras afiliadas, em cerca de 70 países. Além deles, outros 400 finalistas receberam prêmios por contribuírem com trabalhos inovadores.

Veja mais: conheça os projetos brasileiros que foram apresentados no ISEF 2012

Assista abaixo ao "surto" de Jack Andraka ao saber que foi o campeão da ISEF 2012:"
Fonte:
http://olhardigital.uol.com.br/jovem/digital_news/noticias/garoto-de-15-anos-cria-metodo-para-detectar-cancer-28-vezes-mais-rapido

Young Innovator Achieves Childhood Dream at Intel

sábado, 14 de julho de 2012

Aborto de amor


Há pessoas que têm tanto medo do amor, 
que o abortam quando ele chuta a barriga da paixão.
Carlos Kurare

Sampa - 13/7/2012 09:21
Há pessoas que têm tanto medo do nascimento do amor,
 que o abortam assim que engravidam de paixão. 
Carlos kurare
Sampa - 13/7/2012 09:15

Criei as frases acima para postar o poema do Pessoa, gostei das duas, de qual você gosta mais? Envie-me um email para eu escolher qual fica e qual vai.


"Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!"
Fernando Pessoa


LUIZ MELODIA e CASSIA ELLER - JUVENTUDE TRANSVIADA

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Problemas? Quem não os tem?

Tudo é simples, mas nada é fácil

Carlos Kurare 

 

Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!

Mario Quintana

(Prosa e Verso, 1978)

Enfrentando problemas – Dr. Lair Ribeiro

"Sabe como transformar seus problemas em probleminhas? — Com reflexão.
Com quem aprender a refletir? — Com o seu mestre interno, que é você mesmo.
Lá dentro de você existe muito conhecimento. O suficiente para ensiná-lo como romper barreiras intelectuais e livrar-se das amarras que o “protegem” contra mudanças, impedindo-o de construir um futuro melhor para si mesmo.
Gratidão
Você é daquelas pessoas que, quando ouvem falar em gratidão, vão logo dizendo: “Eu lá vou agradecer por uma desgraça que aconteceu na minha vida?”
Se for, permita-me dizer-lhe que você está falando bobagem. Agradeça sim, não a desgraça, mas a experiência que ela traz para a sua vida.
As coisas acontecem porque têm de acontecer. Ou você tira proveito delas ou tira prejuízo. O que você prefere? De acontecimentos tristes e dolorosos, o benefício é a experiência, e o prejuízo, é a dor. Com qual você prefere ficar?
Perdão
O perdão libera mágoas, solta amarras e alivia pesos. Quando perdoa, você manda uma mensagem positiva para a sua mente. No momento em que perdoa, você se sente bem e manifesta apreço por si mesmo.
Costumo dizer que o perdão, antes de ser um ato de amor, é um ato de inteligência, que faz mais bem a você do que à pessoa que foi perdoada. Se você não conseguir perdoar com o coração, comece perdoando com o cérebro. O sentimento vem em seguida, esteja certo disso.

Culpa e ansiedade
Culpa é um sentimento do passado e ansiedade é um sentimento do futuro. É natural, pois ninguém sente culpa em relação a alguma coisa que ainda não fez, nem sente ansiedade por algo que já tenha ocorrido.
Para dissolver esses sentimentos que só prejudicam o seu desempenho, é muito simples: viaje com eles. Nossa mente tem o poder de viajar para qualquer lugar. Se você imagina que está em Paris, não há fronteiras nem demora para essa viagem mental. Numa fração de segundo, lá está você passeando junto à Torre Eiffel ou ao Arco do Triunfo. E a mente também viaja para o futuro, mas nem sempre você tem consciência disso.
O presente, o passado e o futuro
O problema da ansiedade é resolvido viajando-se para o futuro, e o da culpa, para o passado. Mas, em ambos os casos, você não saiu do presente, do aqui e agora. Isso significa que o presente criou o futuro, no caso do medo de viajar de avião, e recriou o passado, no caso da culpa pelo atropelamento.
Mas não é só para resolver problemas que podemos usar esse recurso especial. Você pode criar o futuro viajando com as suas qualidades.
Exercite-se
Digamos que você teve uma reunião com a diretoria da empresa onde trabalha e nela, por algum motivo, o seu desempenho foi insatisfatório. Isso deixou em você uma lembrança que até hoje o incomoda. Para dissolver essa lembrança negativa, pergunte-se: “De que recursos pessoais eu precisaria, naquele momento, para mudar o impacto emocional daquele fato na minha vida?”.
Relacione, pelo menos, três desses recursos. Depois, pense em situações da sua vida em que essas qualidades se manifestaram, projete-as na sua mente e congele a imagem, em cores. Em seguida, coloque-se, mentalmente, alguns minutos antes da traumática reunião e veja-se confiante e fortalecido. Então, entre na reunião e pergunte-se: “ Quem sou eu? Uma pessoa capaz de ter aquelas qualidades ou uma que, por um momento, falhou? “.
Naturalmente, você é uma pessoa capaz das qualidades necessárias para sair-se muito bem na reunião."


 por  |  25 de maio, 2012 
 

Hoje dei muita risada com a genialidade da letra desta música. 
Se você pensa que tem problemas, imagine-se em campo! 
Seus problemas passarão!
Ou passarinho!
?:o)

Futebol no Inferno - Caju e castanha

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Mentes de plástico... são recicláveis?

clique na imagem para ampliá-la (no navegador dê ctrl+ para ampliar mais ainda)

Plástico é reciclável! Só não temos é a vontade política de fazê-lo! É patético ver o discurso sobre “sacolinhas" plásticas de supermercado. Tem indústria importando garrafas PET da Argentina por falta de material no Brasil, não que não o tenhamos, mas somos incompetentes para coletá-lo. As prefeituras não têm coleta seletiva que atenda a oferta de recicláveis.
Mais uma vez o poder público varre o lixo pra debaixo do tapete. Não ataca o problema de frente, simplesmente o maquia.

Querem salvar o planeta? Canalizem recursos para a educação e a cultura! Querem resolver os problemas dos recursos naturais não renováveis? Controlem a explosão demográfica!

As soluções são simples, mas não são fáceis, pois mexem com os interesses de grupos econômicos poderosos, que precisam de mais consumidores vorazes, de grupos religiosos que não querem perder o controle sobre seus fieis e a multiplicação de seu rebanho e de grupos políticos que necessitam de ambos para sobreviverem.
Carlos Kurare
Sampa - 26/6/2012 06:42


George Carlin - Save the planet - portuguese subtitles

terça-feira, 10 de julho de 2012

A ave não me ensinou a passar...

A lembrança do que foi é um alento para o que hoje não há!
Carlos Kurare
Sampa - 22/6/2012 14:07

Fernando... é tão bom ter coisas boas para lembrar, me desculpe se as tenho! Deve ser muito triste não as ter.Tenho boas lembranças de comigo mesmo, de outras pessoas que passaram sorrisos na minha face ou unguentos em minhas feridas. Acumular anos e não ter um relicário de boas lembranças deve ser algo de muito triste para alguém suportar. Felizmente tenho boas recordações...E as trago comigo!

Carlos Kurare
Sampa - 22/6/2012 14:39

ANTES VÔO DE AVE

Antes o vôo da ave, que passa e não deixa rasto,
Que a passagem do animal, que fica lembrada no chão.
A ave passa e esquece, e assim deve ser.
O animal, onde já não está e por isso de nada serve,
Mostra que já esteve, o que não serve para nada
A recordação é uma traição à Natureza,
Porque a Natureza de ontem não é Natureza.
O que foi não é nada, e lembrar é não ver.
Passa, ave, passa, e ensina-me a passar!

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XLIII"
Heterônimo de  
Fernando Pessoa

Secos e Molhados - Vôo-

Poema de João Apolinário, música de João Ricardo gravada originalmente pelo conjunto musical Secos e Molhados


Vôo

João Apolinário

O bico da ave
da ave que voa
é a proa da nave
da nave que voa
as vigias da nave
da nave que voa
são os olhos da ave
da ave que voa
o coração da ave
da ave que voa
é o motor da nave
da nave que voa
as asas da nave
da nave que voa
são as asas da ave
da ave que voa
a alma da ave
da ave que voa
é a alma do homem
do homem que voa

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Você é o cara?

Ri muito está madrugada com meu filho, ele oxigenou meu cérebro com novidades jovens!
Valeu filhão!
Carlos Kurare

The Godfather (Rémi GAILLARD)
Dica do filhão.

domingo, 8 de julho de 2012

Marionetes de vidro

É cristalino: tem muita gente de vidro, fragmentando-se com o impacto da modernidade!
Carlos Kurare



Sampa - 6/7/2012 02:00
 
lili 1953

Sinopse

"Lili Daurier é uma doce e inocente jovem francesa de dezesseis anos que, ao se ver órfã, viaja a uma cidade costeira na esperança de encontrar trabalho junto a um padeiro amigo de seu falecido pai. Uma vez lá, toma conhecimento, através do proprietário de uma loja vizinha à padaria, que a pessoa que ela procura também morreu recentemente. Ao vê-la desesperada, por não ter para onde ir, este tenta se aproveitar de sua ingenuidade, mas Lili é salva por Marc, o Magnífico, um simpático mágico que vem se apresentando na cidade, juntamente com um teatro mambembe de marionetes.

Ao seguir com Marc, a jovem tem a oportunidade de conhecer dois de seus companheiros, Paul Berthalet e Jacquot, os quais na verdade trabalham com as marionetes. Com o intuito de ajudá-la, Marc convence Corvier, gerente do restaurante do teatro de variedades, a empregá-la. Ela, no entanto, perde o emprego depois de sua primeira noite, por não conseguir dar conta do trabalho como garçonete, principalmente por passar grande parte do tempo a observar, encantada, o show apresentado por Marc e sua assistente, Rosalie.

Após ser despedida, Lili vai até Marc, por quem se sente apaixonada, na esperança de que ele a ajude novamente, mas este, mostrando-se arrogante e sem escrúpulos, sugere-lhe que volte para o dono da loja vizinha à padaria onde ele a encontrou. Arrasada e sem lugar para ir, a jovem coloca suas coisas no chão e começa a subir uma escada com a idéia de cometer suicídio, quando uma das marionetes fala com ela. É claro que as marionetes estão sendo controladas por Paul que, pressentindo o que Lili estava para fazer, decidiu salvá-la. As marionetes interagem com a jovem, cantando uma canção que a faz rir e esquecer seus problemas. O show é testemunhado por outros artistas da trupe. Paul e seu assistente, Jacquot, que apenas mexe uma das marionetes enquanto Paul faz as vozes, decidem pedir à Lili para que ela passe a participar dos shows.

Paul havia sido um grande dançarino antes de ser ferido durante a 2ª Guerra Mundial, quando se tornou manco. Tal deficiência fez com que ele se dedicasse ao trabalho com marionetes, uma forma de se apresentar para uma platéia escondendo-se por trás das cortinas.

Comovida e agradecida pelo convite recebido, Lili veste-se a cada noite com seu mesmo vestido simples e interage com as marionetes, como se elas fossem pessoas de verdade. Em sua inocência, que lhe possibilita aceitar os quatro personagens como reais, ela lida com a platéia e faz com que o espetáculo se torne um sucesso e seja reconhecido por dois agentes de Paris, Tonit e Enrique.

Paul apaixona-se perdidamente pela jovem, embora não tenha esperanças em ser correspondido, pois ainda carrega a amargura de ser manco. Por outro lado, Lili continua a sonhar com Marc, o mágico. Ela chega a comprar um vestido novo, que a faz aparentar mais velha, e o aborda em seu trailer. Ao vê-los juntos, Paul fica de coração partido. Marc, por outro lado, que não demonstra o menor afeto por ela, ao sair correndo, deixa cair algo no chão. Ao se abaixar para apanhar o objeto caído, Lili descobre que se trata da aliança de casamento do mágico com Rosalie, fato que o casal mantinha em segredo por motivos profissionais.

Lili devolve-lhe a aliança e se prepara para ir embora de vez, mas novamente as marionetes a trazem de volta para que participe do seu próximo número. De repente, ela percebe que as falas dos bonecos nada mais são do que mensagens de amor a ela dirigidas por Paul, concluindo que ele a ama profundamente, mas que, talvez por ser manco, tenha medo de que ela não o aceite.

imagem imagem imagem
Comentários

Baseado na história "Love of Seven Dolls" de Paul Gallico, "Lili" é um dos mais deliciosos filmes do início da década de 50. Realizado pelo cineasta Charles Walters, narra a história de uma jovem órfã de dezesseis anos que se junta a um grupo mambembe, onde passa a trabalhar num espetáculo de marionetes.

Walters cria um inesquecível mundo de fantasia, cuja heroína é interpretada pela atriz francesa Leslie Caron, na época com 22 anos de idade. Sua magnífica atuação a levou a ser indicada ao Oscar de Melhor Atriz, perdendo injustamente a estatueta para Audrey Hepburn, por seu trabalho em "A Princesa e o Plebeu". A química entre os dois principais personagens é indiscutível.

Na trilha sonora, ganhadora do Oscar, destaca-se a canção Hi Lilli, Hi Lo", interpretada por Leslie Caron e José Ferrer. Ao clicar acima, em "Cenas do Filme", tem-se a oportunidade de se assistir a esse número.

Embora não se trate de um verdadeiro Musical, Walters consegue inteligentemente inserir algumas seqüências de dança, a título de sonhos, através das quais tira proveito das qualidades da bailarina que Leslie Caron também era. Numa das seqüências, Lili aparece roubando Marc de Rosalie. A mais importante é, sem dúvida, o balé que ocorre ao final, quando Caron tem uma melhor oportunidade de mostrar sua graciosa dança.

Finalmente, o filme ainda procura passar uma grande mensagem, qual seja a de quão importante é, ao julgar as pessoas, ter sempre o cuidado de olhar além das aparências."
Fonte: http://www.65anosdecinema.pro.br/1185-LILI_%281953%29

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...