quinta-feira, 19 de julho de 2012

Falta pouco... pra 1 milhão

No ritmo que os acessos ao blog ocorrem este humilde blog deverá chegar ao mês de setembro ao incrível número de Um Milhão de Visitas. Estou animado com esse número, sinto uma euforia efervescer em minhas artérias! Quando instalei o contador do Blogger (do Google) em julho de 2010 a primeira contagem mensal foi de 7.190 visitas. Eu naquela ocasião me surpreendi com o número de visitas, até então eu pensava que somente os amigos mais próximos liam o meu blog, ou seja, eu pensava ter por volta de umas duas visitas por dia.  ?:o)...Dois anos se passaram e  ao custo de muito suor, dor e lágrimas, hoje atinjo esse imenso número de visitas. Levando-se em conta as minhas vicissitudes: postar diariamente implica em dedicação e perseverança! Só os amigos próximos e eu sabemos o quanto de porcaria por cá há! Digo, o quanto de sacrifício há cá!  ?:0)
Saiba que a sua visita é o bálsamo que me alivia dores e cicatriza feridas. Ter você aqui, diariamente comigo, a partilhar humor, pensamentos e emoções é uma imensa alegria!
Carlos Kurare






Enviado por noitedaserestapiraci em 24/03/2009

Curare (Bororó)

Você tem boniteza e a natureza foi quem agiu
Com esses olhos de índia curare no corpo que é bem Brasil
Você é toda a Bahia, é a flor no campo da gente de cor
Faz do amor confusão
Numa misturação bem banzeira
inzoneira, que tem raça e tradição
Que é pra machucar minha dor
Nega, neguinha, tudo, tudinho
Meu amorzinho com essa boquinha vermelhinha
Que rasgadinha tem veneno como quê
Conta tristeza e alegria pro seu bem
Que vive a dizer
Que você é diferente de toda essa gente que finge querer

[You have the nature was beautiful and who acted
With those eyes of Indian curare in the body that is Brazil
You are all the Bahia is the flower in the field of people of color
Love makes the confusion
In miscellany well surprising
Tricky, race and tradition that has
What is it hurt my pain
Brunette, litlle brunette, everything, all...
My baby with that mouth litlle red
What is poison and what little torn
Account sadness and joy to his well
Living to tell

Reunião de amigos na comemoração do aniversário do Valter de Souza, em Limeira / SP, no dia 14/03/2009.

Alessandro Penezzi (flauta), Antonio Carlos Fioravante Bolão (voz), Prof. Sergio Napoleão Belluco (violão 7 cordas), Mauro (violão 7 cordas), Gerson Gimenez (bandolim), Taufik Cury (violão), Valter de Souza (cavaquinho), Raul Leite (pandeiro), Raíssa Amaral ..., Odair Prates (percussão = colheres), Teodolito Fontes ... do Cavaquinho de Cosmópolis, Roberto Saglietti Mahn Seresteiro, ....

(Arquivo Raíssa Amaral - Piracicaba / SP - Brasil)
You are all that different from people who want to pretend

"Curare" é o segundo sucesso de Alberto de Castro Simoens da Silva, o afamado boêmio carioca Bororó, violonista e compositor nas horas vagas, cuja obra praticamente se resume a duas músicas, ambas clássicos.

Bororó foi o padrinho da carreira artística de Orlando Silva, que em 1939 ficou enciumado por não ter gravado "Da cor do pecado", o outro clássico, lançado por Sílvio Caldas. Então o compositor deu-lhe "Curare", como compensação.

Além da letra brejeira, a construção harmônica da segunda parte, especialmente a frase final, uma seqüência avançada para época, tornam este samba atraente para intérpretes, como João Gilberto, interessados em músicas de concepção mais elaborada.

Curare (samba, 1940)- Bororó - Interpretação: Orlando Silva

Read more: http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/04/curare.html#ixzz209GitfU3

Um comentário:

Lina Maria disse...

Ô moço bonito, Seu Curare, teu nome é veneno, é? rsrsr

"O conhecido curare é uma mistura de várias espécies de plantas que ocorrem na Amazônia...Usado nas pontas de flechas pelos índios, o curare serve para paralisar a caça ou matar seus inimigos."
http://www.dicionarioinformal.com.br/curare/

Ô moço, tu envenena o povo e depois vem agradicer o feito, é?
Inda põe número no enredo, vixe, dizendo que vai pra lá de milhão...
Dispois, canta seresta para "rebulhar" de vez a "alcobiteira". rsrsrsrrsrs
Pois é, moço bonito venenoso, Kurare...
Vai uma "moda" da Terra de cá, já que fala de cavalo arisco e de homi muntado,
uma modinha para...Vosmicê!!!!!
http://vida-das-coisas.blogspot.com.br/2007/03/vosmic.html

"Vosmicê..."
Vosmicê andou dez légua
No seu cavallo alazão,
Andou p'ru riba das serra
Sem quaisi pisá no chão...
E na vórta do engenho,
Nas marge do ribeirão
Viu a Chica Poranduba,
Viu a mulata inzoneira
Que móra com o Capitão
E dixe que veio me vê...
Faz isso commigo, não...

Dispois vancê vae s'imbora
E deixa meu coração
Batendo como as porteira
Nas noite de assombração.
Vae s'imbora e não se alembra
Que esmagou nas suas mão
A minha felicidade...
Faz isso commigo, não!...

Vai vê Chica Poranduba,
Vê Rosinha Conceição,
Vê a mulata inzoneira
Que móra com o capitão!
Essa gente é que serve,
Porque não tem coração...
Me deixa no meu cantinho!
Faz isso commigo, não!

Obs: Como a minha mente vagueia e passeia nas letras, nos versos...encontrei um dicionário que explica alguns vocábulos, assinalados em meu comentário, entre aspas neste site.
http://castelobrancomogadouro.com/index.php?option=com_content&view=article&id=302:dois-lafraus-e-um-dicionario-&catid=48:alberto-jose-paulo&Itemid=58

Parabéns pelo sucesso!
Abraços!

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...