quinta-feira, 31 de maio de 2012

Atração, paixão e obsessão





Eu bebo até café frio! 
Desde que a companhia... seja quente!
Carlos Kurare


Atração, paixão e obsessão
Por Cibele Fabichak
"Acredita-se que um dos momentos biológicos mais propícios para se apaixonar ocorre quando estamos vivendo situações emocionais extremas, como alegria, tristeza ou excitação em demasia, pois o cérebro fica repleto das substâncias dopamina, noradrenalina e serotonina. Elas podem nos predispor quimicamente à paixão e, então, talvez aconteça o tão sonhado amor à primeira vista.
2 - Ansiedade, primeiro sintoma da paixão
Os sistemas químicos que participam na formação do vínculo amoroso entre os parceiros podem ser também poderosos estimuladores da ansiedade. Quem nunca se sentiu inseguro e/ou ansioso com aquele friozinho na barriga quando trocou os primeiros olhares e palavras com o parceiro escolhido?

Para explicar este paradoxo, os estudiosos têm afirmado que os seres humanos são ansiosos até que um vínculo social é conquistado e, uma vez que isso ocorra, é provável, embora não necessário, que a ansiedade seja substituída por sentimentos positivos de estabilidade, aconchego, integração e prazer de estar ao lado da outra pessoa.

Outro dado curioso a respeito da atração é que ela se caracteriza por ser um estado mental alterado com entusiasmo ou júbilo semelhante à fase hipomaníaca da doença ou transtorno bipolar, com aumento dos níveis de dopamina e noradrenalina.

3 - Semelhanças entre paixão e obsessão
Outros componentes da atração são representados por comportamentos padrões específicos que evocam uma resposta de reciprocidade ("no mundo, só existe o meu amado e somente eu existo para ele") e pensamentos intrusivos ("o meu amado não sai da minha cabeça"), que são parecidos com as obsessões típicas de uma doença, o transtorno obsessivo-compulssivo (TOC).

Obsessões são pensamentos repetitivos e desagradáveis e compulsões são condutas, gestos, rituais ou atitudes repetitivas; ambos são incontroláveis. Por exemplo, medo de se contaminar com germes, lavar as mãos repetidamente, ordenar ou arrumar objetos sempre de uma forma.

Pesquisadores italianos, liderados pela psiquiatra Donatella Marazziti, formularam essa hipótese porque mostraram que nas pessoas que tinham se apaixonado recentemente (estavam na fase de atração) e ainda não tinham tido relação sexual com o parceiro, a quantidade de serotonina no cérebro era mais baixa que nos indivíduos que não estavam apaixonados e semelhante aos níveis observados no grupo de pacientes com TOC.

4 - Atração e obsessão
Portanto, quem está na fase da atração pode ter um cérebro predisposto quimicamente à obsessão pelo ser amado e gastar toda a sua energia mental em pensamentos que rodam repetidamente e insistentemente na imagem, inicialmente, idealizada do amado.

A sensação de insegurança é típica da fase da atração. Mas, afinal, quem deve tomar a iniciativa na paquera?"
Fonte: http://bbel.uol.com.br/comportamento/post/atracao-paixao-e-obsessao/page2.aspx
Publicado em 05/11/2010

Paquera

Por Vanessa Macedo - Equipe Bbel


"Vamos combinar que não tem palavra melhor para definir a fase pré-namoro do que paquera.
O termo parece antigo, do tempo da vovó, assim como a sensação de insegurança que bate quando estamos a fim de alguém. O mundo mudou, as mulheres conquistaram direitos e quebraram tabus. Porém, a dúvida continua: devo chamar pra sair, insinuar ou esperar?

A história acontece quase sempre assim. Você se interessa pelo indivíduo do sexo oposto e começa a procurar formas de demonstrar o interesse. O processo fica mais fácil quando o interesse é mútuo, mas às vezes é preciso usar estratégias para chamar a atenção.

2 - Paquera bem Sucedida

O analista de sistemas Thiago Guerra, 24 anos, soube traduzir os sinais que a namorada transmitiu na primeira vez que se viram. Há cinco anos, ele conheceu a jornalista Bruna Machado, 23, e na mesma hora rolou o clima. "Conversamos bastante e, entre uma palavra e outra, percebia que ela estava ficando mais interessada", lembra Thiago.

Ele conta que, depois de fazer um estudo do "alvo", resolveu tomar a iniciativa do beijo. E se ela tivesse dado o primeiro passo? "Pelo que conheço do meu namorado, não estaríamos namorando", deixa escapar Bruna.

A fase da paquera do casal levanta a suspeita de queos homens preferem dar o primeiro passo. Para tirar a dúvida, procuramos alguns representantes do gênero masculino e perguntamos: o que você acha de ser convidado para sair?

3 - O que os homens dizem sobre a paquera
"Ser chamado para sair me deixaria um pouco constrangido, mas eu aceitaria. De qualquer forma, acho que prefiro que ela dê a entender.", diz o fisioterapeuta Vinícius Beldi, 22 anos.

Pequenos gestos são suficientes para que o fotógrafo e editor de imagens Mauro José de Paula, 36 anos, perceba o interesse. "Na minha opinião, o homem deve tomar a iniciativa, chegar junto. Mas é claro que precisamos identificar alguns sinais. Ser simpática já é uma forma de demonstrar interesse, dar atenção sem se jogar para cima de quem está a fim".

O administrador Vinícius Almeida, 28 anos, é mais aberto a convites. "Aceitaria numa boa ser convidado pra sair, mas tem que saber chegar pra não parecer vulgar. Mulher não pode chegar se oferecendo, querendo logo beijar. Um olhar e as palavras certas fazem a diferença!", afirma.

E o assessor de imprensa Diego Segura, 23 anos, completa: "Não vejo problemas quando a mulher me convida para sair, contanto que faça de uma maneira sutil, sem me colocar contra a parede. Insinuar também é legal, mas é complicado porque em muitos casos os caras podem não perceber e ela vai ficar chupando o dedo."

4 - Estratégias femininas na paquera
O jogo da sedução mantém alguns valores machistas, como o de que o homem tem que cortejar a mulher e conquistá-la. Em tempos de libertação feminina, a mulher cria estratégias para lidar com isso sem ser submissa.

Claudya Toledo, fundadora da A2 encontros e que há vinte anos forma casais acredita que a mulher toma a iniciativa sem o homem se dar conta. "A mulher sabe mover o homem para chegar até ela", revela.

E quando se está frente a frente com o gato, como saber se vai rolar algo mais? No livro "Manual da cara- metade", Claudya dá dicas para saber se a paquera vai engrenar.

5 - Linguagem corporal na paquera

Se a pessoa está sentada e fica com uma bolsa, mala ou qualquer material no colo está na defensiva;
Se os pés da pessoa estiverem voltados para você, ela está na sua. Se estiverem apontados para outro lado, a atenção está seguindo os pés;
Se a pessoa se volta para você, frente a frente, está interessada no assunto e em você. Se estiver voltada para outro lugar, está prestando atenção em outra coisa;
Se a pessoa se debruça para frente em sua direção, ótimo, está muito interessada. Se for para trás, se retraiu. Se cruza os braços, se fechou. Mude de assunto;
Se a mulher sorri e passa a mão nos cabelos, está interessada. Se o homem passa a mão no queixo ou coça a barba, também está interessado. Uma forma de mostrar que também está a fim é colocar as mãos no bolso, o que significa que está apontando para o seu órgão sexual;

6 - Cartadas finais da paquera
Para demonstrar que está paquerando, use o olhar flecha, um mirar intenso nos olhos do outro que se mantêm por uns 15 segundos. Se você for mulher, desvie depois do olhar e sorria. Se você for homem, continue e permaneça até que ela desvie, depois coce a barba ou pegue no queixo;

Dançar solitariamente é muito atraente. Se for a um lugar que tenha música, dance consigo mesma. É muito atraente para o homem assistir à mulher numa dança solitária. Opte pelo gênero doce, leve e sinuoso;

A forma como o papo se desenrola pode ser um grande indício de que a paquera vai dar certo. Os apaixonados encadeiam a conversa, um fala e o outro completa, a conversa vai pegando um ritmo. Quando pintar um silêncio, não diga nada, apenas olhe e sorria. Hora do homem aproveitar a deixa e agir!

Quer viver um grande amor? Saiba como encontrá-lo.
Fonte: http://bbel.uol.com.br/comportamento/post/paquera/page6.aspx
Publicado em 14/09/2010 

O verdadeiro amor: como encontrá-lo?



Que pérola: Caetano e Odair José. É... não é o que se diz, mas como se diz!

Eu Vou Tirar Voce Deste Lugar (Odair Jose e Caetano Veloso)

2 comentários:

Elzinha disse...

Interessante Kurare!!!
Gostei do texto e do assunto. Acho que teorias complementam algumas tentativas de se entender este tal estado de amor que nos acomete uma vez ou outra.
Ótimo o vídeo!!!!
Beijão

Donetzka Cercck Lavrak Alvarez disse...

CARLOS.

ADOREI O TEXTO E O VIDEO.

VC NÃO PRECISA RESPONDER AQUI.SIMPLESMENTE VISITE O BLOG DE QUEM COMENTA,FAZ O MESMO E SIGA_O.

EU NÃO VI A OPÇÃO DE SEGUI_LO AQUI.

PRECISO QUE ME RESPONDA NO MEU BLOG,OK?


OBS: NÃO RESISTI E SALVEI ESSE OLHO LINDO.ADORO IMAGENS.

TEM ALGUM PROBLEMA?

PODE SALVAR O QUE QUISER NO MEU TB E ATÉ POSTAR.


ABRAÇOS E LINDA SEMANA!


DONETZKA

http://donetzkatextosbonitoseimagenslindas.blogspot.com.br/


Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...