domingo, 13 de maio de 2012

Pernilongos sanguinários...

Espero sempre saber saborear a manteiga... 
do pão que o diabo amassou!
Carlos Kurare

Muita vez, no silêncio sepulcral da madrugada, levantei-me para matar pernilongos sanguinários! As dores muito me irritavam, mas com uma toalha em punho dirigia-me vagarosamente ao quarto das crianças e um a um eliminava com fervor de um exterminador do passado os insensíveis pernilongos que sugavam o sangue de meus filhos. Nessas ocasiões sentia-me um super-herói, pois eu o fazia com esforço, com sacrifício, contorcendo-me de dores devido a maldita artrite, mas de toalha em punho, e com uma lanterna na outra mão para não incomodar os olhinhos dos pequenos eu ia...

Não era muito o que eu fazia, mas o fazia todas as noites nas madrugadas frias ou nas quentes. Este ritual eu pratiquei por anos. Era uma luta vã, novos guerreiros sanguinários retornariam no dia seguinte, era como cortar cabeças de uma hidra que nunca morre.

Poder estar ali e permitir que os pequeninos tivessem um sono leve me fazia feliz. Dormir me era impossível, com as dores brutais que a artrite me infligia. Eu era apenas um guerreiro de Brancaleone em minha cruzada por menos pernilongos a "sirenar" à noite de minha família!

Às vezes, anjos maus invadiam-me a mente e conspiravam para que eu usasse um inseticida qualquer e acabasse com o mal utilizando uma logística tecnológica inconcebível naquele teatro de operações. Meu filho... é asmático!

Eu voltava para o meu leito, com mais dores que tinha ao levantar, muita vez, tais batalhas me trouxeram dias mais doloridos. Mas o que é a dor para um pai ou uma mãe quando podemos com ela aliviar o sofrimento de nossos filhos?

Filhos são o legado que nossa raça deixa ao mundo, são uma responsabilidade incomensurável. Só os mais aptos, os com grande coração é que deveriam ter a honra grandiosa da paternidade e maternidade. Mas isso é outra história.

Lembro-me agora de mim como jovem pai, ao lado de uma jovem mãe os sacrifícios que fizemos para criarmos boas crianças. Foram tantos... Como desdobrávamos como pais lendo, nos informando, para que pudéssemos dar o nosso melhor a eles.

Hoje ao vê-los com cultura, com educação e acima de tudo com ética e moral claramente definidas, frequentando universidades consagradas deste país, vejo que fizemos muito bem a nossa parte.

Agradeço a mãe de meus filhos por lutar ombro a ombro comigo contra os mosquitos sanguinários da modernidade que tentaram roubar o sangue de nossos filhos, mas explodiram como ovas de esturjão aos serem por nós jogados contra a parede por toalhas brancas de nossa paz!
Carlos Kurare
Revisar texto pseudo psicografado


Feliz Dia das Mães!!!

Carta de um pai para o filho. (Recomendamos assistir com os seus pais)
Dica do vídeo enviada por Lee(São Paulo - SP)


Carta de um pai a seu filho.avi

Um comentário:

Lina Maria disse...

Que lindíssima homenagem você fez, poeta!
Feliz dia das mães para você,pois pelo que li em seu texto,
fostes não somente pai...fostes PÃE!
Abraço carinhoso.

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...