quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Star só...

Clique na imagem para ampliar  o cartum do genial Quino


Star só...


Estar só é um sentimento que sinto não quando estou só comigo mesmo. 

Estar só é o sentimento que sinto quando estou com gente ao meu redor, mas mesmo assim sinto-me só.

É nessas horas que sinto solidão. Quando o que tenho a falar não encontra ouvidos para me escutar. Quando o que é importante para mim não encontra receptividade no outro.

É quando minhas angústias, segredos, desejos, curiosidades sobre mim, sobre os outros e sobre o universo não encontram abrigo.

Estar só é viver com palavras que querem gritar sentimentos e intelecto no vácuo vazio do espaço humano.

Estar só comigo é um tédio! Estar só, com outros, é um veneno que interrompe as sinapses neurais e mata lentamente o intelecto e as mais belas emoções.


Star só...


Carlos Kurare

Sampa - 07/11/2013 16:55


Feliz aniversário Ary!


Elisinha Coelho - No Rancho Fundo

Fonte: http://www.youtube.com/user/lucianohortencio?feature=watch

"Música composta pelo fabuloso Ary Barroso em 1931, com versos de J. Carlos para a peça musical "É do balacobaco", com o nome de "Na grota funda".
Durante a apresentação da peça, Lamartine Babo, outro fabuloso compositor brasileiro, ficou tão impressionado pela música que resolveu fazer outros versos e deu novo título, passando a chamar-se "No rancho fundo"; a primeira gravação foi com a cantora Elisa Coelho com acompanhamento de piano e dois violões; nascia assim a parceria de Ary Barroso com Lamartine Babo.
Nascido em 7/11/1903 em Ubá MG, Ary de Resende Barroso foi um dos mais importantes compositores da música popular brasileira, com enorme produção de músicas maravilhosas e de muito sucesso. Além de radialista e homem de televisão, com programa de calouros no rádio inicialmente e depois na televisão, marcou época, assim como "flamenguista apaixonado e fanático"; fez toda sua brilhante carreira no Rio de Janeiro, onde faleceu em 9/2/1964. Os maiores sucessos de Ary Barroso foram: Aquarela do Brasil, No Tabuleiro da Baiana, Boneca de Pixe (com Luis Iglésias), Na Baixa do Sapateiro, Dá Nela, É luxo Só, No Rancho Fundo (com Lamartine Babo), Risque, Faceira e muitos outros.
Lamartine de Azevedo Babo nascido em 10/1/1904 no Rio de Janeiro, foi um dos melhores compositores brasileiros, profícuo, possuidor de fino humor, grande sensibilidade e carnavalesco.
Entre os grandes sucessos de Lamartine estão "Teu Cabelo não Nega" com Irmãos Valença, "No Rancho Fundo" com Ary Barroso, "Rasguei a Minha Fantasia", "Isto é lá com Santo Antonio", "Chegou a Hora da Fogueira", "Nada além", "A.E.I.O.U." com Noel Rosa; além de compositor foi ligado ao rádio e ao futebol, tendo sido o autor dos hinos de 11 clubes de futebol do Rio de Janeiro, entre os quais Flamengo, Fluminense, Vasco da Gama, Botafogo e América seu clube de coração. Faleceu em 16/6/1963 no Rio de Janeiro."

Dárcio Fragoso

Fonte: http://www.paixaoeromance.com/30decada/no_rancho_fundo/h_no_rancho_fundo.htm

No Rancho Fundo

Autoria: Ary Barroso e Lamartine Babo (1931)

No rancho fundo bem pra lá do fim do mundo
Onde a dor e a saudade contam coisas da cidade
No rancho fundo, de olhar triste e profundo
Um moreno canta as mágoas
Tendo os olhos rasos d'água
Pobre moreno que de noite no sereno
Espera a lua no terreiro
Tendo o cigarro por companheiro
Sem um aceno ele pega da viola
E a lua por esmola vem pro quintal deste moreno
No rancho fundo bem pra lá do fim do mundo
Nunca mais houve alegria nem de noite,nem de dia
Os arvoredos já não contam mais segredos
E a última palmeira já morreu na cordilheira
Os passarinhos internaram-se nos ninhos
De tão triste essa tristeza enche de treva a natureza
Tudo porque, só por causa do moreno
Que era grande, hoje é pequeno
Para uma casa de sapê
Se Deus soubesse da tristeza lá da serra
Mandaria lá pra cima todo o amor que há na terra
Porque o moreno vive doido de saudade
Só por causa do veneno das mulheres da cidade
Ele que era o cantor da primavera
E até fez do rancho fundo o céu melhor que há no mundo
E o sol queimando e uma flor lá desabrocha
A montanha vai reinando lembrando o aroma da cabrocha

Está postagem começou quando li o cartum do Quino, sim os desenhos do Quino são para serem lidos e não apenas vistos! 

Kurare um doce veneno!




Um comentário:

Profª Cida Rodrigues disse...

Eu preciso aprender a ser só...
Eu preciso aprender a só ser...

Amei teu texto !

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...