segunda-feira, 8 de março de 2010

A Cardeneta Vermelha


Só lamento não ter escrito o que ouvi dos meus filhos, criança fala cada uma!
Aprendi músicas infantis, contei histórias, na verdade as inventava, o curioso é que a idéia é que eu as contava para que eles dormissem, mas muitas vezes, fui eu que dormi. Rimos muitas vezes, apesar da doença, e de suas limitações.
Fiz o meu melhor, se você tem filhos pequenos, faça o seu melhor. Não sinta culpa, apenas faça o seu melhor!
Num mundo em que muitos: pouco, ou nada fazem, o seu melhor terá dimensões astronômicas no futuro deles!
Carlos Kurare

O caderneta vermelha



3 comentários:

Anônimo disse...

Belisisma mensagem Carlos ...
Muitas vezes quando somos adolescentes queremos ser os os donos da razão e não valorizamos os pais que temos. E só depois que os perdemos é que nós damos o verdadeiro valor a esses "velhos tão queridos".

Um beijo meu ...
Kátia Duarte.

Anônimo disse...

Carlos,
Tenho lido tudo o que você escreve, e percebi que tudo o que escreve é como um vinho envelhecido em barril de carvalho, que deve ser degustado lentamente, gota a gota.
Alicce Dantas

Anônimo disse...

Caro Kurare,
Excelente postagem!!
Sou pai,também, e essa me tocou!
Bravo!!
Assim que entrei nessa pagina,nesse blog,fiquei muito satisfeito,ao ver que
algumas coisas ainda valem a pena,em meio à uma porção de porcarias que vejo
na internet.
Quanto ao post,me identifiquei com ele,pois,passei maus bocados com uma
filha algum tempo atrás...quem não passa,não é?
Mas não desistimos!!!
Hoje, assim como voce,sei que dei o meu melhor,que fui forte e digno o
suficiente para ampará-la,fragil e amigo o bastante para tentar
compreende-la.
Não foi facil me despir de preconceitos e tabus..fui criado num regime de
educação rígido,pais conservadores,coronelismo,mas,me superei..
Não,não sinto culpa,não me corrompi por ter me tornado sensível,não perdi a
minha masculinidade por isso,pelo contrário,sinto-me pleno!!
Fiz a minha parte,tudo que pude..para os pais não há limitações.
Minha filha,hoje, refere-se à mim:meu pai é "O CARA"!!
Ainda que não seja adepto de gírias;sou um tanto arcaico,mas, essa expressão
faz muito bem ao meu ego.
Não há como aceitar qualquer outra reação por parte dos pais,se não,a de dar
à seus filhos o respaldo emocional que tanto necessitam nessa fase tão
difícil da vida.
Esse é o momento crucial,a prova de fogo..à que somos submetidos.
Muito mais que na tenra idade,simplesmente cantar canções de ninar ou contar
estórias,temos que ser o arrimo para que eles construam as suas,numa fase
bem mais complicada que essa!
Como voce bem colocou:num mundo em que muitos,pouco,ou nada fazem,eu,sei que
fiz o meu melhor!! Não abneguei dos meus deveres de pai,não fui omisso,não
fugi da responsabilidade,que cabia à mim também.Sim,protegi,acolhi,apoiei.
Me pergunto:que pais são esses que abrem mão de um filho ..quem são esses
que se dizem Pais???? que,por um obstáculo a ser transposto,por
prepotencia,uma gravidez indesejada na adolescencia ou,por muito menos que
isso,colocam um(a) filho(a) para fora de casa? Quem é essa mãe que abandona
um recém nascido?
Covardes! Negligenciam,abandonam,desistem..deixando marcas em suas vidas.
Felizes,nós,que podemos repousar nossas cabeças no travesseiro,com a certeza
de que fizemos "a coisa certa" e, dormir com nossa consciência tranquila.
Nós,sim,somos "PAIS",não apenas os genitores.


Parabéns Kurare!



Boa noite


Dr. Jonas N.Sobral

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...