segunda-feira, 12 de abril de 2010

Cecília Meireles - O cavalo Morto








"Aprendi com a primavera a me deixar cortar.E a voltar sempre inteira." C. Meireles













Cecília... Conheço-a há mais de três décadas!
Obrigado por ser perene!
Dou-lhe minha palavra: sempre serei grato por deixar palavras!

Carlos Kurare






O cavalo morto

Vi a névoa da madrugada
deslizar seus gestos de prata,
mover densidades de opala
naquele pórtico de sono.

Na fronteira havia um cavalo morto.

Grãos de cristal rolavam pelo
seu flanco nítido; e algum vento
torcia-lhes as crinas, pequeno,
leve arabesco, triste adorno,

- e movia a cauda ao cavalo morto.

As estrelas ainda viviam
e ainda não eram nascidas
ah ! as flores daquele dia ...
- mas era um canteiro o seu corpo:

um jardim de lírios, o cavalo morto.

Muitos viajantes contemplaram
a fluida música, a orvalhada
das grandes moscas de esmeralda
chegando em rumoroso jorro.

Adernava triste, o cavalo morto.

E viam-se uns cavalos vivos,
altos como esbeltos navios,
galopando nos ares finos,
com felizes perfis de sonho.

Branco e verde via-se o cavalo morto,

no campo enorme e sem recurso,
- e devagar girava o mundo
entre as suas pestanas, turvo
como em luas de espelho roxo.

Dava sol nos dentes do cavalo morto.

Mas todos tinham muita pressa,
e não sentiram como a terra
procurava, de légua em légua,
o ágil, o imenso, o etéreo sopro
que faltava àquele arcabouço.

Tão pesado, o peito do cavalo morto !

Cecília Meireles - O Cavalo Morto



Veja mais sobre Cecília aqui: cecilia meireles 


Canteiros - Homenagem a Cecília Meireles - Fagner


3 comentários:

Anônimo disse...

Eu simplesmente amei ouvir a Cecília na sua voz.Divino.Beijs querio amigo.
Alicce

Anônimo disse...

Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os braços que tiverem semeado.
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo.
Cecilia Meireles

Amo-a.
Leila Bragança

Anônimo disse...

Amei a biografia sobre Cecília Meireles, parabéns ao dono do Blog. S. Bacana.

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...