sábado, 24 de julho de 2010

Eu não ovo...

Bem hoje o dia será mais curto, mas talvez seja diferente. Ei! Olhe pra mim quando falo com você, assim terei a impressão de que me ouve ! Sei...sei que está escutando, mas quero mais! Quero que preste atenção! Quero que "OVA"! Como assim? Como não conhece o verbo "OVIR"? Conjuga-se como o verbo "PERAR".
 Bem... "ovir" é ouvir e prestar atenção. É importar-se com o que o outro fala! Isso é claro se o outro não é sua mãe (a dela, não a sua, presta atenção, me "ove"), que fica falando um monte de ovas no seu ouvido! Não... não tenho nada contra sogras, pelo contrário, a minha mãe sempre foi uma excelente sogra! Não, não estou sendo sarcástico com a sua mãe. Não, eu não ajo com indiferença com ela, eu precisaria ver traços, ao menos remotos, de humanidade nela, para lhe ser indiferente.  Eu não sou desumano não! Como assim vai pra casa da sua mãe? Ei não bate a porta... Droga! Pedi prá não bater! Por que mulheres nunca nos ouvem, ou "ovem"?!
Carlos Kurare

Uma pessoa me escreveu e disse que ficou irritada com uma "porcaria" de postagem que leu no blog. Imagine então eu... que fui obrigado a ler toda a porcaria nele contida! 

Carlos Kurare




 
É como diz o Haroldo: Problemas drásticos requerem soluções drásticas!




AS PESSOAS QUE NÃO OUVEM
Mario Prata


"Você deve conhecer uma ou mais delas. São aquelas pessoas com quem você está conversando e – de repente – você percebe que elas não estão te ouvindo. Sim, porque na primeira vírgula, na primeira pausa, ela entra em outro assunto, geralmente falando de si mesma. Tenho um amigo, aliás uma pessoa muito famosa, que ficou uns três anos sem ouvir, sem prestar a mínima atenção nos outros. Fomos nos afastando dele. Agora, que se separou da esposa, passou a ouvir. Não estou querendo dizer que os casados não ouvem. Longe de mim. O caso ali é específico.


As pessoas que não ouvem, não são surdas. Elas escutam, mas não ouvem. Será que eu estou sendo claro? Você fala com elas e percebe que o olhar que deveria estar te mirando, tá longe. Sabe-se lá onde.

Pois eu resolvi o problema. Descobri que as pessoas que não ouvem, só não ouvem ao vivo. Mas se você telefonar, elas te escutam, te ouvem, enfim, falam com você. Não sei qual é a mágica do telefone para fazer trazer aquelas pessoas à nossa realidade e ao nosso mundo. Aí passei a só falar com este tipo de gente por telefone. Se a ligação for interurbana, ele ouve mais ainda.


Acho que é isto: quanto mais longe você está, mais ele presta atenção. Sim, porque quando você está perto ele não te ouve e nem te vê. Mas, não te vendo, ao telefone te ouve. Será que o Bell e o Freud chegaram a pensar nisso um dia?

Você entendeu, ou não ouviu nada do que eu disse?"
MARIO PRATA






"Via Láctea" - Olavo Bilac

sar.cás.ti.co
1 Pertencente ou relativo ao sarcasmo. 2 Que envolve ou exterioriza sarcasmo. 3 Caracterizado por desprezo ou repugnância. 4 Diz-se da pessoa propensa ao uso de sarcasmos.(Dic. Aurélio)

2 comentários:

ANÔNIMA FASCINADA disse...

Carlos Kurare, não acho que poste porcaria no seu blog... Porcaria é não ter a capacidade de entender as piadas, sua doçura disfarçada, sua provocação evidente, sua tristeza contida e até os seus recados criptografados!Agora quanto ao verbo “ovir e o perar”... Não é exclusividade sua encontrar pessoas amadas que não consigam conjugar perfeitamente este verbo, principalmente na primeira pessoa do singular...Agora sério,"as terráquias" sofreram uma mutação no DNA,e todas tem surdez, cegueira e paralisia.São incapazes de entender que você é um ser de outra galáxia,há muitos anos luz de distância(até mais do que eu),com uma cultura mais avançada que a nossa “Via Láctea”.Então passemos ao que deve ser mais importante para você ... Meu beijo e parabéns!

Luna disse...

Carlos,

Deus quando fez a Via Láctea e te deu, certamente já sabia o quão íntimo você seria das estrelas.

Quanto aos dinossauros...ah, vamos deixar os dinossauros prá lá...rss

Beijos!

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...