segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

"Mais que a maciez da pele...procuro a suavidade do toque!" Carlos Kurare


  

Com o poema abaixo quebrei um longo jejum de poesia. 
Isabel... obrigado  pela inspiração!
Carlos Kurare




O sorriso de Isabel

Isabel não sorri... seu sorriso, sorri por ela!

O sorriso de Isabel tem vida própria
Ele flutua de forma livre, crua.
Manipula e me seduz.
O sorriso de Isabel é profícuo,
Como pirilampos sedentos de luz
Vem e corta meus olhos como navalha branda.
O sorriso de Isabel é lindo! É inebriante
Assusta-me e desarma.






Às vezes, penso que caiu do céu!
Como uma bólide, rasgando a pele da noite
Esse belo monólito que é
O sorriso de Isabel.

O meu sorriso é amarelo
Amargo como o fel,
Talvez por nunca ter cruzado
com o sorriso de Isabel!

Minhas dores são tantas,
Minhas cruzadas foram muitas
Quero o bálsamo dos olhos, quero
a ternura da alma, e dos lábios a quentura...
do sorriso de Isabel!

Sampa - Outubro de 2009

Carlos Kurare

Smile - Nat King Cole - Música de Charlie Chaplin


Música: Charlie Chaplin
Artista: Nat King Cole


Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que sua quebra
Quando há nuvens no céu, você vai conseguir
Se você sorrir para seu medo e tristeza
Sorria e talvez amanhã
Você verá o sol brilhando, pois você



Ilumine sua face com alegria
Esconda qualquer traço de tristeza
Embora uma lágrima possa estar tão próxima
Esse é o tempo que você tem que continuar tentando
Sorria, qual é a utilidade do choro?
Você vai descobrir que a vida ainda vale a pena
Se você apenas sorrir

Esse é o tempo que você tem que continuar tentando
Sorria, qual é a utilidade do choro?
Você vai descobrir que a vida ainda vale a pena
Se você apenas sorrir

2 comentários:

By Bárbara disse...

Gostei do que você escreve! Escreve bem.

Carlos Kurare disse...

Bárbara,

Obrigado pela delicadeza das palavras Bárbara!
Seja bem-vinda aos comentários!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...