terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Xô chupim!



Amigo virtual é real?

- Já aconteceu com você?
- Numa hora crítica, sabe? Dessas que lhe falta o chão! Você já precisou de um amigo ao seu lado e não o teve? Isso a angustiadou? 

- “são duas horas da madrugada de um dia assim” seu filho está com pneumonia, os outros dois dormindo no quarto ao lado, você precisa sair! Ir ao médico... ao pronto socorro, a qualquer lugar! Mas nesse momento você não tem com quem deixar os outros dois! Afinal você acaba de mudar-se para um cidade nova em outro estado. Você está só! Não tem ninguém ao seu lado, a babá que contratou não veio, pois foi presa um dia antes, por porte de droga. Você não conhece ninguém, na cidade e “são duas horas da madrugada de um dia assim”... e você como sempre vai resolver tudo sozinha...

- “são duas horas da madrugada de um dia assim” e você precisa falar com alguém, você tem uma angústia silenciosa você não está só, você mora com sua mãe, seu pai morreu há anos e vocês são o esteio, uma da outra. A angustia silenciosa é que sua mãe está partindo você logo ficará só... de repente você se apercebe que não tem pra quem ligar para desabafar, pois “são duas horas da madrugada de um dia assim”.

- Você é independente, tem um ótimo emprego, um excelente salário, vai a festas, e tem sua filha... companheira que é o seu grande arrimo. Mas ela vai embora na semana que vem. Ela é médica e alistou-se no “médico sem fronteiras” e você sabe que ela ficará fora de sua vida por anos...

- Você tem 46 anos e não consegue um companheiro, tem suas amigas, mas elas não vão estar ao seu lado sempre... Você sabe disso... Não pensa nisso, procura não pensar... mas você sabe...

- Nessas horas sentimos um aperto no peito...não é verdade?
Uma sensação de vazio... misturada com angústia e limão que começa a irritar nossas mucosas estomacais e de repente algo gástrico começa a entrar em ebulição. É como se a lava que um vulcão expirasse... O refluxo da solidão explode e se projeta pelo esôfago e chega à nossa boca como realidade cáustica que é. Turva nossos pensamentos e lança sombras sobre o nosso raciocínio.

- Bem... saiba que há sensações piores... Saiba que há pessoas que se iludem e pensam ter amigos!
- Elas acreditam que as pessoas que encontram todos os dias nos Mensageiros (MSN, Skype, Talk etc) são seus amigos. Há pessoas que acreditam que amigos são os que lhes enviam belos .pps ou maravilhosos vídeos do Youtube, afinal estão sempre lá! Presentes em suas telas de LSD, digo LCD para uma teclada ou outra.

- Mas, tristemente elas estão longe, e num momento de necessidade real elas não estão realmente lá. São apenas amigos virtuais. Você nunca os viu pessoalmente. Muitos, você sequer sabe se são reais. Afinal você só os viu por fotografias. Afinal eles só aparecem quando precisam e não quando você precisa.

- Bem... eu não acredito nessa vida virtual. Por isso nos meus mensageiros pessoais só mantenho, por mais de um mês, leitores de meu Blog e amigos que conheço em carne e osso. Mantenho também algumas pessoas que são queridas e pela dificuldade da distância ainda não as pude conhecer. Mas só mantenho as que vi e conversei um dia por webcam, se vi seus rostos, seus olhos e suas expressões enquanto conversávamos.

Pois pra mim: gente que não se mostra... se esconde!

- Eu sempre me pergunto: posso contar com essa pessoa? Eu tenho um telefone no qual posso ligar a qualquer hora e ela estará lá para me atender? Sinto-me à vontade para isso? Eu posso visitá-la conhecer a sua casa? Ela pode vir à minha casa, meus filhos podem saber da existência dessa pessoa? A família dela pode saber da minha?
Se a reposta as muitas dessas perguntas que faço é Não! Fica claro para mim que não tenho um amigo ou um colega. Tenho sim apenas um incógnito conhecido. Tenho um conhecido virtual! E me pergunto: o que vou fazer a respeito?
A internet é ferramenta, é meio! Não é fim em si.
Meu computador vive conectado 24h na internet. Eu não!
Eu largo tudo quando recebo um convite agradável para “Carpe diem”! Pois sei que “Tempus fugit”!

- Você já deve ter percebido que há pessoas que apesar de terem o contato presencial tratam o outro como virtual. Não criam laços! Usam o outro apenas! Essas são mais perigosas,pois homeopaticamente, beiram a psicopatia. Vivem ao nosso lado, mas de lado! Não criam laços, vivem em simbiose parasitária conosco. 

- Quando perceber que isso está a acontecer diga: Xô chupim!
============
- A internet tornou-se um fim para você?
- Você só tem amigos virtuais?
- Você tem um problema!
E se eu sou seu amigo virtual eu lhe digo: O problema é seu!

?:0)

-O tempo urge outro dia termino o texto! Ou não!

Carlos Kurare
Cansado de ver tanta hipocrisia virtual, e real! E feliz por ter portos seguros Reais!

Sampa - 10/2/2011 09:46




Mad World - Gary Jules

Dica do Vídeo da Christina

Cientistas detectam pássaro mafioso

Chama-se Chupim-cabeça-castanha

2007-03-07
Mariquita, a vítima estudada pelos pesquisadores
Mariquita, a vítima estudada pelos pesquisadores
Por que outras espécies de pássaros aceitam passivamente que o chupim deixe ovos em seus ninhos e ainda criam os filhotes do parasita? Por que os hospedeiros não jogam os ovos estranhos para fora? A resposta, segundo uma pesquisa científica recente, é: além de aproveitador, o chupim se vale de uma estratégia de intimidação típica do crime organizado. Eis uma estranha notícia publicada pelo jornal brasileiro Estado de S. Paulo, vulgarmente conhecido como Estadão.
Os ovos castanhos e maiores são do chupim
Os ovos castanhos e maiores são do chupim
Segundo a notícia doEstadão,o que foi apelidado de "comportamento mafioso" foi registado no Molothrus ater, o chupim-cabeça-castanha, e está descrito na edição online desta semana da revista Proceedings of the National Academy of Science (PNAS). 

"São as chupins fêmeas que controlam o esquema mafioso no nosso local de pesquisas", diz nota divulgada por um dos autores do trabalho, Jeffrey P. Hoover, citado pelo Estado de S. Paulo. "Nosso estudo mostra que muitas delas voltam e vandalizam os ninhos quando removemos o ovo parasita", explicou ele. 

Na pesquisa, Hoover e o co-autor Scott K. Robinson observaram ninhos onde os chupins haviam deixado ovos e então removeram alguns desses ovos. Eles descobriram que 56% dos ninhos da onde os ovos tinham sido retirados acabaram vandalizados. 

Os cientistas - diz o Estadão - também viram evidência do que chamaram "comportamento de cultivo", no qual o chupim destrói um ninho para forçar o hospedeiro a fazer outro. Em seguida, o chupim sincroniza sua época de pôr ovos com a da vítima. "Chupins parasitaram 85% dos novos ninhos, o que é evidência forte em apoio tanto ao cultivo quanto ao comportamento mafioso", disse Hoover. 

simbiose
[Do gr. symbíosis, ‘vida em comum com outro(s)’.]
1. Ecol. Associação de duas plantas, ou de uma planta e um animal, ou de dois animais, na qual ambos os organismos recebem benefícios, ainda que em proporções diversas.
2. P. ext. Associação entre dois seres vivos que vivem em comum.
3. Fig. Associação e entendimento íntimo entre duas pessoas.
© O Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa.

parasito
1 Que, ou o que nasce ou cresce em outros corpos organizados, vivos ou mortos. 2 Que, ou o que vive à custa alheia. 3 Anopluro. adj Lit e Bel-art Desnecessário, supérfluo. sm 1 Zool Animal que vive à custa de outro ser organizado, deste retirando tudo o que necessita para a sua própria subsistência. 2 Bot Vegetal que se nutre da seiva de outro.
Dicionário Michaelis


Mad World (tradução)
Artista: Gary Jules

À minha volta são todos rostos familiares.
Lugares desgastados.
Rostos desgastados.
Claro e cedo para suas corridas diárias
indo a lugar nenhum.
Indo a lugar nenhum.
E suas lágrimas estão enchendo seus óculos.
Sem expressão.
Sem expressão.
Escondo minha cabeça, quero afogar meu sofrimento.
Sem amanhã.
Sem amanhã.
E eu acho isso meio cômico.
E eu acho isso meio triste.
Os sonhos nos quais estou morrendo são os melhores que eu já tive.
Eu acho difícil te dizer
porque acho difícil de entender.
Quando as pessoas andam em círculos é
um mundo muito, muito louco.
Mundo louco. Mundo louco.

Crianças esperando pelo dia quando se sentem bem:
feliz Aniversário.
Feliz Aniversário.
E eu me sinto do jeito que toda criança deveria
sentar e escutar.
Sentar e escutar.
Cheguei à escola e estava muito nervoso.
Ninguém me conhecia.
Ninguém me conhecia.
Olá, professora, diga-me minha lição.
Olha através de mim.
Olha através de mim.
E eu acho isso meio cômico.
E eu acho isso meio triste.
Os sonhos nos quais estou morrendo são os melhores que eu já tive.
Eu acho difícil te dizer
porque acho difícil de entender.
Quando as pessoas andam em círculos é
um mundo muito, muito louco.
Mundo louco. Mundo louco.

2 comentários:

Luna disse...

Oi Carlos!

Que tal deixar de ser apenas meu "amigo virtual" e me levar para conhecer o Cine Belas Artes? Ainda há tempo?

Peraí, você não é apenas meu amigo virtual, é meu escritor, aquele para quem eu ainda vou pedir autógrafo um dia! Lembra-se???

Um beijo!

http://vejasp.abril.com.br/blogs/cinema-filmes/

Tania Razoli disse...

Concordo plenamente com o texto. O mundo virtual deve nos aproximar das pessoas e não se tornar o único canal de comunicação. Gosto das conversas virtuais, muitas de alto nível, mas conservo com muito carinho meus amigos leais e sinceros, que me oferecem o ombro quando preciso, que saem de suas casas para me socorrer quando meu carro quebra, ou quando estou tendo uma crise e preciso desabafar. Amigos são seres reais, que estão junto com a gente, tomando um vinho, rindo ou chorando. São pessoas com as quais contamos e que sabem que podem contar conosco. Amizades virtuais são para alguns momentos, as reais são para toda hora e para a vida toda.

Beijo

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...