quarta-feira, 11 de maio de 2011

Abismo e moscas...



Eu aprendi, ao longo da vida, que pega-se mais moscas com mel do que com vinagre!
... Meu único problema agora... é o que fazer com as moscas???
Sampa – 15/04/2011
Carlos Kurare




ABISMO

Quero absorver intensamente toda a tristeza do mundo
As esperanças não alcançadas
Os filhos que não nasceram
O pranto das mães desconsoladas...
Quero sentir profundamente toda a dor
A dor de não ter amor, não ter paz,
Não ter futuro.
Pelo trabalho rotineiro de cada dia
A comida sem graça e fria
A desigualdade, a injustiça, o olhar distante,
A dor, toda a dor da infelicidade.

Quero aguardar a catástrofe silenciosamente
Com o meu cansaço estafante e descomedido
Pelo excesso das palavras, das mentiras, das ilusões
Dos pesadelos, tantos.
O horizonte se distanciando... longe... longe.
Quero chorar muito... Quero chorar muito
Sem nenhum constrangimento
Sem parar, sem parar.
Quero ser tragado pela realidade
E me esconder na sombra da minha insignificância

Para que num momento distante – se houver,
Eu possa despertar para um mundo
Agradável e melhor.

Autor: Nilson Oliveira

Fonte: julianacruz








Abismo Autor Nilson Oliveira

9 comentários:

Luna disse...

"Quero sentir profundamente toda a dor
A dor de não ter amor, não ter paz,
Não ter futuro..."

Carlos,

Por vezes sinto essa dor, e é assim, profundamente...

Mas, não raramente, me vejo renascer melhor, no amor que transborda, vaza e me contamina...

Esse amor refletido no olhar dos meus filhos, não me deixa outra opção, senão a de ser feliz.

Beijo!

nilson oliveira disse...

Carlos, obrigado pela gentileza de divulgar um dos meus poemas que mais gosto. É motivo de alegria encontrá-lo neste espaço tão especial e acompanhado de belas imagens e frases. Um grande abraço.

Janaina Cruz disse...

Como disse meu maridinho lindo: Obrigada pela divulgação do poema Carlos.

Embora com tons de tristeza o poema abismo ficou muito lindo.

E também gostei muito da roupagem que você deu a ele.

Abraços mil

Carlos Kurare disse...

Luna,

Eu vivo está dor, e com está dor ei de morrer
Eu sei que muitas vezes eu declino de viver
A cada dia com dores, eu revivo meu sofrer
Eu morro de dores! Você precisa compreender

Pense apenas nas cores
Das margaridas em flores
que plantarei por você
(http://carloskurare.blogspot.com/2011/04/doresde-doresdas-dores.html )

Um beijo menina!
Carlos Kurare

Carlos Kurare disse...

Nilson,

A alegria é minha e a dor também...
Obrigado pela gentileza do gesto da visita e acima de tudo...obrigado pelo belo poema!
Espero também despertar um dia para um mundo melhor.

Um grande abraço!

Carlos Kurare

Luna disse...

Carlos,

Que esse jardim esteja sempre florido e com o colorido das suas palavras...

Criei raízes já!

Beijo!!!

Carlos Kurare disse...

Janaina,

Não há o que agradecer o prazer foi meu de poder brindar meus leitores com ele.

Um grande abraço aos dois!

Carlos Kurare

Luna disse...

Cadê o comentário do autor??? Sumiu!!!

Não fez backup né Carlos???

Carlos Kurare disse...

Luna,

Problemas com o Blogger que administra o Blog que é do Google. Eu só trabalho aqui!
Fiz Backup sim, mas só sei recuperar tudo de uma vez. Não em partes como faria o Jack!

Beijo!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...