quinta-feira, 12 de maio de 2011

Corro para alcançar o tempo...



Corro para alcançar o tempo, mas ... Puxa! Como corre esse menino!
7/5/2011 09:47 Sampa
Carlos Kurare


Brinco de esconde-esconde com a morte, há cinco décadas! 
Mas, a cada dia, fica mais difícil achar um lugar para me esconder." 
Carlos Kurare





TEMPO
Poema de Viviane Mosé

quem tem olhos pra ver o tempo soprando sulcos na pele
soprando sulcos na pele
soprando sulcos?
o tempo andou riscando meu rosto
com uma navalha fina
sem raiva e nem rancor
o tempo riscou o meu rosto
com calma
(eu parei de lutar contra o tempo
ando exercendo instantes
acho que ganhei presença)
acho que a vida anda passando a mão em mim
a vida anda passando a mão em mim

acho que a vida anda passando
a vida anda passando
acho que a vida anda
a vida anda em mim
acho que há vida em mim
a vida em mim anda passando
acho que a vida anda passando a mão em mim
e por falar em sexo, quem anda me comendo é o tempo
na verdade faz tempo, mas eu escondia
porque ele me pegava à força e por trás
um dia resolvi encará-lo de frente e disse: tempo

se você tem que me comer
que seja com o meu consentimento
e me olhando nos olhos
acho que ganhei o tempo
de lá pra cá ele tem sido bom comigo
dizem que ando remoçando

Poema extraído do livro Pensamento do Chão (editora Record)
Fonte da internet aqui


Nana Caymmi - Resposta ao Tempo

8 comentários:

Luna disse...

Carlos,

Essa música é maravilhosa e o poema é tão profundo quanto as marcas que certamente o tempo há de cravar em nossas faces.

Não pude deixar de me lembrar deste poema da Cecília Meireles:

http://www.youtube.com/watch?v=hYEMQ0Gbe38

Quando ouço esse poema interpretado pelo Paulo Autran, me emociono muitíssimo.

Esse dom pertence aos grandes... jamais podería sentí-lo de forma tão intensa, não fosse essa interpretação.

Como pode uma criatura transformar meia dúzia de palavras em algo tão grandioso???

Beijos!

Luna

Lucimere disse...

Que triste.

bjo

Néia Lambert disse...

Você escreve com objetividade aliada à leveza, isso me faz voltar sempre aqui.

Um abraço.

margoh werneck disse...

Tempo para se pôr de pé.
Tempo para crescer.
Tempo para se desprender.
Tempo....

Beijao

Carlos Kurare disse...

Luna,

Adoro esse poema da Cecília.
Um beijo!

Carlos Kurare

Carlos Kurare disse...

Lucimere,

Triste...

Um beijo!
Carlos Kurare

Carlos Kurare disse...

Néia,

Obrigado, volte sim! Pessoas com sensibilidade são sempre bem-vindas!
Um beijo!

Carlos Kurare

Carlos Kurare disse...

Margoh,

Tempo...tempo...tempo!

Beijão!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...