domingo, 24 de julho de 2011

Falo para te tocar...

Estou envelhecendo... como sei disso?
Simples: falo mais do amor do que o pratico!
Carlos kurare


O amor é isso.
Não prende, não aperta, não sufoca.
Porque quando vira nó, já deixou de ser laço.

Mário Quintana

Mariza - Chuva


Chuva
Mariza
Composição: Jorge Fernando

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir



Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade

5 comentários:

Anônimo disse...

Tudo lindo!! A frase, a música... a intenção e o gesto que vai em qualquer direção, ao alcance de qualquer coração. Ameeii! Beijos de chuva. Kátia.

Ps: a música vai pro meu cantinho.

Anônimo disse...

Oi Carlos! Estou sempre aqui lendo vc. É isso, realmente só o que importa e tem valor permanece, o resto passa e nem deixa marcas. Ainda bem!Que seria de nós se tudo ficasse...?Bj. (D.Alves)

Alê disse...

Ai Carlos,


Me senti idosa aqui, rsrs,


Bjos

Dina Ciranda disse...

Não há pq lembrar o que nada me fez evoluir.
Destaco...

"Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir".

Abçs poéticos!
Se puder visite meu blog: htt://afetocolorido.blogspot.com.br
e o blog da CAPPAZ: http://somospoetascappazes.blogspot.com.br

Carlos Kurare disse...

Certamente o farei!

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...