sábado, 23 de julho de 2011

Quer brincar de esconde-esconde?

Cartum do mais que talentoso Quino

Brinco de esconde-esconde com a morte, há cinco décadas! 
Mas, a cada dia, fica mais difícil achar um lugar para me esconder."
Carlos Kurare

clique nas imagens para ampliá-las


Obrigado Quino!
Por ter com seus desenhos em branco e preto, colorido a minha vida! 
Clique 2x para ver
Se hoje procuro não me omitir e se em questões relevantes sempre opino!
Seus desenhos foi um dos muitos ossos com os quais montei o arcabouço da minha Maturidade.
E se hoje corro pelos campos da liberdade intelectual, é porque você foi um dos que me ajudaram na fuga do calabouço da ignorância.
Eu digo com a claridade de quem conquistou certa serenidade...
Ou melhor, eu grito , em bits por uma estrada que é uma das maiores rotas de fuga dos cárceres da ausência do saber deste mundo.
Aqui e agora, no meio desta estrada da informação eu grito meu grito: MUITO OBRIGADO POR SUA OBRA QUINO!
Carlos Kurare

Conheça mais a respeito do Quino em seu site clique aqui
Felizmente a Má fada não me impediu de conhecer a Mafalda!
Carlos Kurare
Clique 2x na imagem para ampliá-la!
Se puder compre os livros! É bom ter certas coisas que não dependam de eletricidade à mão!

Pode mastigá-lo, mas não engula!  - O discurso de quem?
Por quê tenho que fazê-lo? Eu ordeno, pois sou sua mãe!! Se é questão de títulos sou sua filha! E nos graduamos no mesmo dia! OU NÂO?
Difícil de ler os cartuns? Use o Chrome ou o firefox (uso ambos cada um tem uma qualidade diferenciada) e depois de abrir a imagem clique e segure o botão ctrl e depois clique no botão + e seja feliz!

Quino
Grande cartunista argentino, pai de Mafalda e de tantas outras charges que durante várias décadas vem encantando o mundo. Sua marca distintiva é o humor reflexivo, inteligente e sempre atual.

Quino, ou Joaquín Salvador Lavado, nasceu dia 17 de julho de 1932 na cidade de Mendoza (Argentina). Recebeu o apelido desde pequeno, para diferenciá-lo de seu tio Joaquín Tejón, pintor e desenhista publicitário com quem aos 3 anos descobriu sua vocação. Na década de 40, perde sua mãe e seu pai. Termina a escola primária e decide inscrever-se na Escola de Belas Artes de Mendoza, a qual abandonaria anos depois para dedicar-se a desenhar quadrinhos e humor.

Em 1954, instala-se precariamente em Buenos Aires e perambula pelas redações de todos os jornais e revistas em busca de emprego.
A revista Esto Es publica sua primeira página de humor gráfico. Desde então e até o dia de hoje continuam sendo publicados ininterrupitamente seus desenhos humorísticos numa infinidade de jornais e revistas da América Latina e Europa. Em 1960 casa-se com Alicia Colombo. Não teve filhos. A lua de mel no Rio de Janeiro foi a primera saída da Argentina.

Em 1963 lança seu primeiro livro de humor, Mundo Quino, uma recopilação de desenhos de humor gráfico mudos. Em 1964 aparece Mafalda pela primeira vez e a partir daí foram lançados vários livros na Argentina e no exterior. Viajou a vários países divulgando seu trabalho e recebeu diversos prêmios de nível internacional, entre eles o de desenhista do ano, em 1982. Atualmente publica seus desenhos na revista semanal do jornal Clarín. fonte aqui

6 comentários:

margoh werneck disse...

Entao, vou te contar...o meu primeiro contato com as tirinhas da Mafalda foi aos 12 ano,quando não tinha aula me dirigia à biblioteca da escola - lugar vazio e escuro – quase um isolamento , era raro ver a presença de alunos dentro das bibliotecas, salvo pelo fato de estar de castigo. Em uma dessas visitas, encontrei na estante uma coleção de tirinhas, cada uma com aproximadamente 100 folhas (eram vários volumes).Comecei a minha viajem ,em uma leitura que muitas vezes despertava a curiosidade da bibliotecária por ter testemunhado varios momentos de distração e gargalhas.Essa relação de extrema paixão pelas tirinhas da Mafalda permanece até hoje.Só havia esquecido que o pai dela é o Quino.
Obrigada por me lembrar.











.

[contem 1 beijo]

Carlos Kurare disse...

Essa é uma das características que gosto no Blog, Não permitir que boas lembranças sejam esquecidas.
Um abraço fraterno a todos que apreciaram algum dia as tirinhas e os cartuns do Quino!
E se eu soubesse desenhar eu... escreveria! ?:0)

Kinha disse...

Oi Carlos. Amei seu blog. Vim agradecer pela visita e estarei sempre por aqui pra ver mais posts. Te sigo!
:)

Alê disse...

Que sinistro o primeiro...

E pra pensar: a gente acredita que ela nunca chegará, embora seja nossa única certeza,


Bjos

Anônimo disse...

Adooorooo a Mafalda e o Quino por te-la criado. Essa menininha sabe muito!! :0) Beijinhos! Eu rsrs

Silvana Bacana disse...

Mafalda e o Quino,sem comentários... simplesmente magníficos!!! Curti muito as famosas tirinhas com minha irmã mais velha e assim tivemos momentos divertidíssimos.

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...