Có... có... có...

 
"Diga-me com quem andas e lhe direi quem és!"


Ouvi a história abaixo no ano de 1994 e a contei várias vezes de outras formas, mas sempre com o mesmo intuito: o de provocar mudanças!
Mas enfim, é uma grande verdade, eu sei, pois nasci num galinheiro, e comi muito inseto e resto de refeições, minha visão era curta como a distância que a tela do galinheiro me permitia. Um dia comecei a ler livros que me permitiram voar. A partir desse dia criei um plano de fuga para que me permitiu escapar do galinheiro intelectual que vivia.
Hoje voo, mas ainda trago um pouco do cheiro das galinhas, ainda voo pesado e sem muita malicia, mas voo, pois galinha não sou... sou águia! Uma águia como você é ou pode tornar-se! Caso você não se sinta águia. É pelo fato de estar no meio das galinhas. Pule a cerca! Fuja dessas penosas medíocres! Vem pra cá pra cima! Leia o plano de fuga nas páginas deste blog.
Lembre-se: galinhas vivem ciscando o chão, pois é lá que encontram minhocas e outros insetos, águias só olham pra baixo quando dão um voo rasante à caça de uma refeição.
Espero ter aberto o seu olho de águia!
Carlos Kurare

"Esta é uma história que vem de um pequeno país da África Ocidental, Gana, narrada por um educador popular, James Aggrey, nos inícios deste século, quando se davam os embates pela descolonização. Oxalá nos faça pensar sempre a respeito.

"Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro, a fim de mantê-lo cativo em casa. Conseguiu pegar um filhote de águia.
Colocou-o no galinheiro junto às galinhas. Cresceu como uma galinha.
Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista.
Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:
- Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.
- De fato, disse o homem.- É uma águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais águia. É uma galinha como as outras.
- Não, retrucou o naturalista.- Ela é e será sempre uma águia. Este coração a fará um dia voar às alturas.
- Não, insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.
Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e, desafiando-a, disse:
- Já que você de fato é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe!

A águia ficou sentada sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.

O camponês comentou:

- Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!
- Não, tornou a insistir o naturalista. - Ela é uma águia. E uma águia sempre será uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.
No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa.
Sussurrou-lhe:

- Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!

Mas, quando a águia viu lá embaixo as galinhas ciscando o chão, pulou e foi parar junto delas.

O camponês sorriu e voltou a carga:

- Eu havia lhe dito, ela virou galinha!

- Não, respondeu firmemente o naturalista. - Ela é águia e possui sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.

No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para o alto de uma montanha. O sol estava nascendo e
dourava os picos das montanhas.

O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:

- Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe!

A águia olhou ao redor. Tremia, como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte.

Foi quando ela abriu suas potentes asas.

Ergueu-se, soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto e voar cada vez mais para o alto.

Voou. E nunca mais retornou.

Fonte: Leonardo Boff"
Fonte: http://sacraliza.blogspot.com/2010/10/podemos-voar-ser-mais-do-que-pensamos.html

A Fuga das galinhas

A Fuga das galinhas - chicken run (uma boa animação para ver com as crianças)

Comentários

Lina Maria disse…
Os vídeos são hilários (que maldade fizeram com o garotinho! rs).
Bem, quando uma galinha não é capaz de ser águia, o jeito é se rebelar mesmo. rs
Entendi o que você disse sobre prisões em galinheiros e o desejo de alçar voo.
Tenho uma coisa apenas a dizer a este respeito:
Quem nasceu para ser águia, jamais será galinha.
Por mais que tentem nos aprisionar em dogmas e irracionais ditames, o céu é o nosso limite.
Livros e liberdade...excelente analogia, "poeta águia"!
Te gosto!
Abraços
Lina Maria disse…
Hum... esta postagem fez-me lembrar de Drummond:
"Chega mais perto e escuta as palavras,
cada uma tem mil faces ocultas sob a face neutra."
É incrível o poder que a comunicação alcança entre "alguns".
Não são precisos muito vocábulos, nem muito menos ferramentas de limites (vírgulas, pontos etc); basta sentir o que não se diz, o implícito oculto na intenção.
Quando isso ocorre acontece assim...
"As mudanças ocorrem além das palavras." Annie Lennox
Abraços

Postagens mais visitadas