Dizer adeus não é fácil...




Dizer adeus não é facil... nos fragmenta em centenas de pedaços.

Mas ouvi-lo é pior... nos despedaça em milhões de fragmentos!

Carlos Kurare

Sampa - 22/10/2012 21:26



Por favor, caso use uma de minhas frases, cite a minha autoria

Fico feliz quando as vejo por ai, com meu nome ao final, não me furte este prazer!

Se puder citar o endereço do Blog agradeço mais ainda!!!

Obrigado!

Carlos Kurare 
 

I Will Survive - Tradução com legenda em português do Brasil  




Edith Piaf - Non Je Ne Regrette Rien - Legendado clique aqui para ver o vídeo:

http://youtu.be/SKUlK1ptosU

Comentários

SERVAMARA disse…
Bom dia, parabéns por sua tocante e profunda reflexão; que o Médico dos médicos fragmente os teus pedaços, os meus pedaços e todos os pedaços desconexos da humanidade que desfragmentaram, desvirtuaram e macularam o Seu incondicional e inigualável amor..

Nunca estamos sozinhos nos momentos das nossas dores, das nossas copiosas lágrimas e nas despedidas tão dolorosas...O Senhor vela, consola e se compadece por nós!

Para sua reflexão, graça e paz multiplicadas. Aimara


ICH BETE WIEDER, DU ERLAUCHTER


'' Estou novamente orando, ó Deus tremendo.

Tu vais me ouvir novamente, à medida que as palavras

das profundezas de mim

jorram no vento para ti.


Eu fui feito aos pedaços,

dilacerado pelo conflito,

escarnecido por risadas,

engolido na bebida.


Em vielas me recomponho

do meio do lixo e vidro quebrado.

A meia-boca gaguejo para ti,

que és eterno em tua simetria.

Ergo para ti minhas meias-mãos

numa súplica sem palavras, para poder novamente encontrar

os olhos com que uma vez te contemplava.


Sou uma casa eviscerada pelo fogo

onde os culpados as vezes dormem

antes da punição que os devora.

Caça-os em campo aberto.


Sou uma cidade junto ao mar

afundando na maré tóxica.

Sou um estranho para mim mesmo, como se um desconhecido

houvesse envenenado minha mãe grávida de mim.


É aqui que todos os cacos de minha vergonha

que agora me encontro novamente.

Anseio por pertencer a alguma coisa, por ser contido

numa mente que me abrace inteiro e me veja

como algo singular.

Anseio por ser acolhido

naquelas grandes mãos de teu coração...

Ah! deixa que elas me apanhem agora.

Nelas deposito estes fragmentos, a minha vida,

e tu, ó Deus-- usa-os como quiseres''.

(Livro das Horas, de Rilke: Poemas de Amor a Deus)
Carlos Kurare disse…
Aimara...
Obrigado por seu comentário e pelo poema!

Postagens mais visitadas