sábado, 8 de fevereiro de 2014

Recordar é viver!



Sentimos saudade... Não do que perdemos, mas do que nos faz falta!

Carlos Kurare


Saudade é o sumo que sai quando tua lembrança me espreme o coração.

Carlos Kurare

O poema abaixo foi escrito, aos 15 anos, por minha filha. A gravação que fiz é caseira. 
Foi gravado sem recursos de estúdio. A captação foi feita diretamente do notebook.
Carlos Kurare


Bem... quero dizer que este poema da minha filha,
é um presente sem preço, mas, com muito apreço,
presente que nunca ganhei, e que nem me foi dado,
mas sei que tem muito do meu suor incrustado,
em cada palavra e tem meu tempo e minhas arestas,
bem como, tem meu amor polvilhado em suas frestas.
Gostaria de dizer não! Mas, com certeza, o mereço!

-O porto que agora bebo para comemorar este momento desce-me suave à garganta. Ler o poema de minha filha desce-me delicadamente alma adentro.
- Espero que você goste de ouvi-lo como eu gosto de senti-lo!

Filha...você me dá um orgulho danado!

No Frio da Saudade - Poema de Lilica - Voz Carlos Kurare

2 comentários:

Maria Valeria Ferreira disse...

Lindo...e esta voz.......parabéns....

Carlos Kurare disse...

Obrigado pelo lindo, mas a foto não é minha, na verdade é de um macaco japonês. Lol

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...