sábado, 4 de setembro de 2010

Cabeça de homem



Cabeça de homem

Não lhes faltam mulheres, mas esses exemplares masculinos não conseguem encontrar a deusa dos sonhos

Texto: Ciça Vallerio - Fotos: Alex Silva/AE - 05 de junho de 2010
Os homens das fotos abaixo estão solteiros faz tempo, embora garantam que candidatas à vaga de namorada não faltam. Eles valorizam a liberdade, gostam de fazer o que lhes dá na telha sem precisarem dar satisfação a ninguém. Mas suas rotinas não têm nada de mirabolante: curtem ficar em casa de papo para o ar, ir a um museu para ver alguma exposição esquisita ou sentar-se em um boteco com os amigos para falar besteira. Abrem mão dessa vida, dizem, só se um dia encontrarem a "mulher ideal".

Enquanto essa figura feminina idealizada não cruza seus caminhos, vão tendo seus casinhos. Existem muitas mulheres que estão na mesma situação, ou seja, só abrem mão da solteirice se realmente valer a pena. O levantamento anual realizado pelo Ibope Mídia, o Target Group Index, mostra que os solteiros (ambos os sexos) representam 34% da população do estado paulista. Eles e elas estão em pé de igualdade: cada grupo representa exatos 50%. A faixa etária que concentra mais gente disponível é a de 18 a 24 anos (39%), seguida pela de 25 a 34 anos (33%). A maioria pertence às classes C (43%) e AB (39%).

Um levantamento feito pela agência de casamentos A2 Encontros, entre 300 homens cadastrados, de 30 a 45 anos, com renda superior a 4 mil reais, comprova que as mulheres não são mais detentoras da "tolerância zero e exigência máxima". Hoje, eles empatam com elas também nesse quesito.

Segundo registros da agência, em 2004, para cada 10 mulheres compatíveis com os perfis de clientes do sexo masculino, o candidato aceitava conhecer 4 perfis femininos selecionados. E as mulheres diziam "sim" para 8 dos 10 perfis masculinos indicados. Este ano, a aceitação de ambos os sexos caiu para 2, selando, assim, um empate.

Às vésperas do Dia dos Namorados (12 de junho), reunimos uma pequena amostra desses seres, com suas idiossincrasias e desejos (presentes ou futuros) de selar uma relação "especial". Vejam só as queixas e aspirações deles.

COMO ENTENDER OS SOLTEIROS

Sem lançar mão dos chavões que inundam as publicações de autoajuda, o professor emérito de Psicologia da Universidade do Estado da Califórnia, Herb Goldberg, explica as dinâmicas de gênero que envolvem o comportamento amoroso no livro Tudo o que os Homens não Entendem: Mulheres, Relacionamento, Amor (Editora BestSeller, R$ 40). Leia a entrevista que o autor concedeu por e-mail.

Você fala que os homens estão vivendo um momento crítico, pois seu "isolamento pessoal" e a "dependência das mulheres" estão maiores do que nunca. Por quê?

Os homens são muito dependentes das mulheres para preencherem lacunas pessoais que eles não conseguem administrar sozinhos. Só que, hoje, muitas mulheres estão agindo como eles e estão assumindo funções que lhes caberiam. Isso os coloca com a necessidade desesperada de resgatarem seu próprio papel.

Mas por que os solteiros dizem que não querem abrir mão de sua liberdade?
Eles amam a liberdade, mas só quando já têm uma mulher. A realidade é que, quando estão solteiros, desejam muito encontrar uma mulher para preencher sua vida pessoal.

A busca pela "mulher perfeita" não é uma desculpa para ficarem sós?

É a arrogância do macho. Eles precisam de uma mulher perfeita para alimentarem seu ego, particularmente perante os outros homens que competem com eles. Querem uma mulher como troféu, de forma que reflita positivamente para a sua imagem.

É por esse motivo que o encanto dos primeiros encontros desaparece rapidamente?

A maioria das mulheres se acomoda e faz tudo para agradar ao homem, acreditando que precisam agir assim para serem amadas. Os homens são inicialmente atraídos pelo físico, mas por causa dessa postura vão se cansando delas, porque eles necessitam de altos índices de desafios e estímulos, e isso não acontece quando a mulher só quer dar prazer.

Como explicar certa aversão de muitos deles ao casamento?

A maioria dos homens não sente necessidade de se casar. Eles sabem que, quase sempre, o matrimônio acaba com o prazer do romance. E nos casamentos tradicionais, se a mulher decidir terminar a relação, o marido perde a casa, o acesso às crianças e eles são sempre acusados de não serem confiáveis, de serem workaholics e desprovidos de habilidades íntimas. Consequentemente, mais mulheres do que homens buscam o casamento, até porque muitas delas sofrem pressão da família, da sociedade e se preocupam com o "relógio biológico". Enquanto a solteirice masculina é vista com tranquilidade, é doloroso para a mulher ser rotulada de solteira. Reportagem completa aqui


COR DE ROSA CHOQUE - Rita Lee

5 comentários:

Paul@... disse...

Bom dia Carlos,

Vou tentar aprender com este texto a partir do momento que agora entendi porque os homens perdem o interesse depois dos primeiros encontros...
Nós mulheres, realmente, somos muito bobas!!!
beijos
Paula Araujo

Anônimo disse...

Olá,Carlos.
Boa noite!
Como você está? Desejo q esteja melhor...

Não poderia passar por este texto sem aprender algo... Mulheres, um doce encanto na vida, mas boba quando não entendem que o homem é homem e não docinho que precisa de açúcar. Depois deste texto, vou rever os meus conceitos...
O homem quer mostrar o seu troféu e todo troféu
é conquistado com esforço e não com doçura...
Carlos, um abraço!
Tere

Anônimo disse...

Gostei do texto da Ciça, pois retrata muito bem a realidade que vivemos. Nao quero ser "troféu", e certamente nao serei escolhida por "esta qualidade", o que dá certa tranquilidade...Se escolhida for nao será para expor aos amigos.
Beijos
Neca

Erika Azevedo disse...

Olá. Amei o texto. É por essas e outras que sugeri a você qque escrevesse sobre outras formas de amar.

“Queria ter lhe conhecido antes, muito antes... Para que nenhum de nós dois tivesse medos ou cicatrizes. Queria ter estado com você, quando seu coração descobriu o que era Amor. Quando seu corpo descobriu o que era Desejo. E antes que pudesse sofrer, eu estaria do seu lado, amando-lhe, entregando-me, e juntos poder ter aprendido as lições da vida e do coração... Queria ter te conhecido muito antes”.

...Mas nos conhecemos agora. Cheios de medos e cicatrizes... Nossos corações já descobriram o amor e também a dor... Nossos corpos há muito, sabem o que é desejo. Já estivemos em outro abraço... Aprendemos cada um, do jeito que a vida quis as lições do mundo e do coração. Mas será que não temos mais nada para viver? Será que nossos corações secaram e já não podemos mais amar? Será que o tempo acabou com tudo de bom que há em nós e já não temos nada para oferecer? Ficaremos acorrentados nas dores do passado? Deixaremos que comandem nossas vidas e façam assim estragos maiores do que já fizeram? Deixaremos que nos privem da felicidade e de emoções que ainda não sentimos?
Vem... Vamos esquecer tudo que vivemos, tudo que sofremos, os desejos “dês sacralizados”, o corpo mal tocado, o coração mal amado... Vem ser feliz, permita-se o encontro com o Amor de eternidade, abandone-se ao encantamento de nossas almas... entregue-se a uma nova forma de viver, de sentir, de querer.
Vem curar definitivamente, com bálsamo do amor e da ternura, todas as feridas, apagar as cicatrizes e libertar-se para a vida...
Deixe-me tocar seu corpo como ninguém tocou... como um templo onde se entra para orar, para encontrar-se com Deus na plenitude de um Amor Supremo.
Vem passear em meus jardins! Plantei flores para que um dia, pudesse colhê-las, onde pássaros cantam canções de ninar para embalar seus sonhos... Busquei estrelas cadentes para iluminar seu caminhar...
Vem! Há muito para ser vivido! Há muito que ser aprendido, sentido, compartilhado.
Vem! A vida nos oferece como flores um ao outro...
Erika Azevedo - (sacraliza)

É. Aprender a amar é a pedida e a saída...

Erika Azevedo disse...

Ah. Pessoas perfeitas, não existem. Existem muitas mulheres que sofrem ainda da "síndrome de Rapunzel". Esperam pacientemente seus príncipes encantados, trancadas em suas torres. Há muitas que já cortaram suas tranças, desceram da torre e foram à luta pela vida e pela vitória do Amor, de mãos dadas com um HOMEM que como ela, é feito de BARRO, imperfeito, mas mutável.
O homem ideal sonhado por muitas, cansou de carregar nos ombros sozinho a responsabilidade pela felicidade de Cinderelas e Rapunzeis da vida. Não existem pessoas perfeitas, existem homens e mulheres (podem até ser a minuria; mas existem) compremetidos com a construção de uma relação encantada, dispostos a crescer, a amar; com coragem para ser o que vrdadeiramente são e querem.
Ter coragem para ser o que se é e assumir o que se quer, conhecer-se, é condição para ser feliz.

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...