sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Quando viu o seu pai pela última vez?


Não vi o filme, mas já vi esse filme!

"Quando viu o seu pai pela última vez?
Quando cremaram o caixão?
Quando fecharam a tampa?
Quando ele soltou o último suspiro?
Quando ele disse alguma coisa?
Quando te reconheceu pela última vez?
Quando deu o último sorriso?

Quando viu o seu pai pela última vez?
Quando ele estava saudável, ativo?
A última vez que discutiram por alguma coisa?
Aquelas semanas em que tentamos dizer adeus, foi uma série de elaborações.
Todo dia eu pensava: Ele não pode conseguir mais do que isso.
E todo dia ele conseguia.

Eu tenho tentado me lembrar da última vez em que o vi de verdade.
A última vez em que ele estava indiscutivelmente lá.
Na totalidade de ser – bom – ele mesmo."







Quando você viu seu pai pela última vez? - When Did You Last See Your Father?



João Nogueira - Espelho



NAQUELA MESA Zélia Duncan, Hamilton de Holanda e Nilze Carvalho

4 comentários:

Helena disse...

Eu já tinha visto este post mas não havia conseguido abri-lo, não sei porque.Muito bonito o que vc escreveu!Resumindo:Curta as pessoas que vc ama enquanto pode, enquanto estão do lado de cá, seja como for!

Luna disse...

Oi Carlos!

Parece ser um filme bonito, eu sou chorona, me acabo vendo filmes assim.

Beijo!

Anônimo disse...

Oi Carlos!
vi o filme ontem na HBO, e confesso que relutei muito.Meu pai morreu fazem dois anos e nunca tivemos uma relação de diálogo nem de amizade.Mas eu nunca deixei de ter esperanças , nem mesmos nos raros momentos de lucidez.Por ironia acho que nunca estivemos tão próximos quanto nos dias em que me sentava ao seu lado na UTI do hospital. Enfim... espero que ele me perdoe e principalmente que EU mesma faça isso.

Abraços.

Carlos Kurare disse...

Anônimo,

Por favor! Assine o comentário na próxima vez para que possamos conhecê-la.

Sabe... Às vezes só percebemos que é tarde demais para agirmos, quando é tarde demais para agirmos.
Mas, no seu caso não foi tarde demais! Você estava lá quando ele precisou de você. Não se culpe você teve tempo para a redenção, lembre-se sempre disso: você estava lá! Esteja ele onde estiver ele saberá.

O fato de tais sentimentos a assolarem, deixa clara a sua preocupação o seu carinho. Não seja tão dura com você. No momento crucial você estava presente.

É nos momentos de tempestade que um bom marinheiro conhece o seu navio, bem como, a sua a tripulação, e não na bonança.

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...