quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Não sou quem me navega...quem me navega é o mar...


 
Hoje pela enésima vez recebi um email no qual a pergunta central era: o que você faz da vida?
Minha resposta:

Eu não faço nada da vida... a vida é que faz o que quer de mim!



As perguntas mais comuns, nas conversas comuns são sempre relacionadas, a onde você mora, no que você trabalha o que você tem? O que posso tirar de você? Como vou sugar egoisticamente seu ter e o seu ser. Caramba! Como há vampiros soltos à noite?
Não é à toa que haja tantos relacionamentos pastéis de vento, fugazes e sem recheios. Fala-se muito em individualismo, nas vantagens e na importância de se viver só... de se bastar. Mas pera ai... Uma coisa é uma coisa... outra coisa é outra coisa! Favor não confundir individualismo com egocentrismo.

Darei aqui uma dica para quem frequenta sites de relacionamento. Fique com um pé atrás com gente com fotos sem sorrisos. Pois, 53% das pessoas que postam fotos sem sorriso, são problemáticas. 45% são pessoas amargas.
Ah os 2% restantes? São boa gente! Mas...não têm dentes!
?:0)

Carlos Kurare



A bomba mente e sorri sem dente!
Carlos Drummond


Ser

O filho que não fiz
hoje seria homem.
Ele corre na brisa,
sem carne, sem nome.

As vezes o encontro
num encontro de nuvem.
Apoia em meu ombro
seu ombro nenhum.

 

Interrogo meu filho,
objeto de ar:
em que gruta ou concha
quedas abstrato?

Lá onde eu jazia,
responde-me o hálito,
não me percebeste,
contudo chamava-te
como ainda te chamo
(além do amor)


onde nada, tudo
aspira a criar-se.

O filho que não fiz
faz-se por si mesmo.

Carlos Drummond de Andrade


Timoneiro - Paulinho da Viola


Timoneiro

( Composição Paulinho Da Viola E Hermínio Bello De Carvalho )

E quanto mais remo mais rezo
Pra nunca mais se acabar
Essa viagem que faz
O mar em torno do mar

Meu velho um dia falou
Com seu jeito de avisar:
- Olha, o mar não tem cabelos
Que a gente possa agarrar

Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar

Timoneiro nunca fui
Que eu não sou de velejar
O leme da minha vida
Deus é quem faz governar
E quando alguém me pergunta
Como se faz pra nadar
Explico que eu não navego
Quem me navega é o mar

Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar

A rede do meu destino
Parece a de um pescador
Quando retorna vazia
Vem carregada de dor
Vivo num redemoinho
Deus bem sabe o que ele faz
A onda que me carrega
Ela mesma é quem me traz

2 comentários:

Márcia disse...

Olá meu querido amigo Carlos Kurare,
não poderia deixar de passar por aqui para lhe desejar um 2011 cheio de realizações, conquistas e muito, muito sucesso!!!!
Que seus planos (eu sei que são muitos rsss) aconteçam, quero ir assistir vc na 1ª fila!
Que em 2011 uma sorridente (cheia de dentes), faça seu coração muito feliz, pois vc é uma pessoa muito especial!
bjs e bjs

Carlos Kurare disse...

Márcia, Obrigado menina! Todos os pagantes serão bem vindos! :0)

Um beijão!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...