sábado, 29 de janeiro de 2011

Paixão é comida. Amor é alimento!


Ciúmes é um tapa que se dá com luvas na cara do outro. 
Com luvas de peliCANO!
Todo ciumento é egoísta, olha o outro com os olhos de posseiro. 
Deixe seu amor mais solto!
Acorrente-o com os grilhões da confiança,
quem confia ama mais leve!

14/1/2011 23:33 – Sampa

Carlos Kurare

Vale a pena ver de novo: A postagem abaixo é de 21 Agosto de 2010

Frases esparsas...

Paixão é bom... Mas quando acaba, deixa uma sensação de vazio.

Paixão quando acaba: é algo que houve, como se não houvesse havido.

O amor, ao contrário. O amor quando se parte, ele parte, mas deixa parte do bolo.

O amor quando parte deixa um delicioso bolo de lembranças, salpicado com açucares de saudades, e cheiros saborosos no ar...

Paixão mata a fome do corpo. O amor alimenta a alma!

Paixão... sacia-se com comida. Amor... sacia-se com alimento.

Paixão mata a fome. O amor alimenta!

Carlos kurare

21/8/2010 07:56



"Não foi à toa que Adélia Prado disse que "erótica é a alma". Enganam-se aqueles que pensam que erótico é o corpo. O corpo só é erótico pelos mundos que andam nele. A erótica não caminha segundo as direções da carne. 

Ela vive nos interstícios das palavras. Não existe amor que resista a um corpo vazio de fantasias. Um corpo vazio de fantasias é um instrumento mudo, do qual não sai melodia alguma. Por isso, Nietzsche disse que só existe uma pergunta a ser feita quando se pretende casar: 'continuarei a ter prazer em conversar com esta pessoa daqui a 30 anos?'"
Rubem Alves



Paixão é comida. Amor é alimento!

Doces Bárbaros - O Seu Amor




Rita Lee - Amor E Sexo

Dica da Lee

9 comentários:

Erika Azevedo disse...

"Paixão mata a fome do corpo. O amor alimenta a alma". É essa!!! Sua melhor frase.
A maior necessidade do ser humano é o Amor. Pode-se ter tudo, uma paixão avassaladora, matar a fome do corpo, mas a alma morre sem amor.
Perfeito.

Rê Liberato disse...

Eh, Rubem Alves...Pronto, está aí um homem que reconheço a tal da "química" que tanto conversamos, Kurare...eu olho para esse homem, lembro-me de tudo o que eu já sei dele num momento relâmpago...e quando olho de novo, ele me parece reluzente...iluminado...o corpo que me toca é o emocional...um corpo que transforma o corpo humano em irresistível e extremamente excitante...e me faz propostas indecentes, como diria o Chico...rsrs...e nesse momento, eu faria qualquer coisa por essa criatura divina!!!rsrs Acabei de ter um insight...que ótimo!!! Conversar com você, Kurare...é sempre produtivo...mesmo quando não está de corpo presente...rsrs... Bom..reflexões...me perdi nelas...rsrs Foco..." O ciúme nasce quando se toma consciência de que a pessoa amada é livre. Ela é um pássaro pousado no omkbro. Nada o prende. Pode voar quando quiser. Alguns ciumentos tolos, acham que casamento, é gaiola, que garantirá a posse do pássaro. Mas nada garante a posse do poássaro. Nem mesmo a morte. O pássaro voa, o pássaro volta...Mas pode ser que voe não volte..." Sabe de quem? Rubem Alves...ai ai...será que ele aceita meu pedido de casamento?

Rê Liberato disse...

"O outono é a estação de uma nova descoberta, Não há urgência. Nenhuma obrigação. A natureza está tranquila. Na adolescência qualquer mulher servia, porque o sexo era comandado pelas pressões vulcânicas dos hormônios e pelos genitais. Agora o que excita é o rosto da pessoa amada.O sexo de ser movido pela bioquímica que circula no sangue e passa a ser movido pela beleza. O amor se torna uma experiência estética. E o que os amantes outonais mais desejam não são os fogos de artifício do orgasmo, mas aquela voz que diz..."Como é bom que você exista..." O outono é tempo de tranquilidade. É bom estar juntos de mãos dadas, sem fazer nada. É bom acariciar o cabelo da amada....Esta é a grande queixa das mulheres - que para os homens a intimidade é sempre preparatória de uma transa. Talvez porque se sintam obrigados a provar que ainda são homens. O que as mulheres desejam não é prazer...é Felicidade. O outono é o tempo do amor feliz..." Rubem Alves...

Rê Liberato disse...

"...Preciso não dormir até se consumar o tempo da gente..." Sim, preciso não dormir, preciso não morrer, porque há muito amor ainda não realizado. Vem-lhe então a memória do amor puro que, por descuido não se realizou, e vai em busca da sua recuperação." Pretendo descobrir no último momento um tempo que refaz o que desfez...".
Esse verso me comove de maneira especial. Pensando no meu desajeito, na minha desatenção, vou me lembrando das coisas que derrubei, das palavras que não ouvi, das flores que pisei. E dá uma vontade de fazer o tempo voltar para poder refazer o que foi desfeito, para recolher todo o sentimento e colocá-lo no corpo outra vez...
Aí ele vai mansamente dizendo as palavras que o amor deve saber dizer, palavras que só existem no "tempo da delicadeza" "Prometo te querer até o amor cair doente, doente..." Por isso, por causa desse tempo misterioso, é preciso amar cuidadosamente com o olhar, com os ouvidos, com a mão que tateia para não ferir...enquanto há tempo." ...Rubem Alves...

Carlos Kurare disse...

Erika,

Obrigado por me chamar a atenção para está frase, ela havia passado desapercebida por mim. Tem razão é linda!
Um beijo Menina!

Carlos Kurare

Carlos Kurare disse...

Rê,

Temos muito o que fazer... enquanto há tempo. Infelizmente falo com pessoas que não têm a noção que o tempo se esvai.
Um beijão!

Carlos Kurare

Luciana disse...

Poxa, amei hoje essa sensibilidade toda de falr de amor e paixão...poxa, sinto tanto que o tempo passa, sinto tanto que amei, e me apaixonei e quero tanto aprender com isso, nunca mais repetir o erro desses ciúmes, da posse, do egoísmo...deixar tudo solto , tudo livre...lembrei de uma música que vc deve conhecer. "Se eu te amo e tu me amas , o amor a dois proclama, sofro mas eu vou te libertar...o que é que eu quero se eu te privo do que mais venero que é a beleza de deitar..." Raul Seixas
Olha tirei do fundão do meu baú e me lembrei de uma época que eu vivia livre e feliz...Espero que goste.
Abraços
Lu

maria regina disse...

SEGREDO DAS PIPAS
Damário da Cruz

(Se não for possível
em muitas manhãs)
rouba teu filho
nas tardes de domingo.

E na fala mais simples
conta no ouvido pequeno
o segredo das pipas,
os caminhos dos duendes,
as formas das cidades,
o mistério dos amores...

E não te preocupes.

Sobre as coisas ruins
muitos tentarão
sem êxito ensiná-las.

Sua expressão feliz, cheia de orgulho me fez lembrar dessa poesia - espero que goste.
O finalzinho do texto, porém, me deixou intrigada, quando você caracteriza a sua jornada como solitária.
Tem um tom triste ou me provocou esse sentimento - não sei ao certo... mas me arrisco a perguntar: o que você pensa sobre solidão, Carlos?

Grande abraço e desejos de uma semana feliz. desejo, ainda, "Que você tenha gente do seu lado, nesta noite! Gente... do seu lado de dentro!" Carlos Kurare - Conhece? (rsrs)

Beijão

Regina Gomes

Carlos Kurare disse...

Maria Regina,

Só falo de solidão quando estou presencialmente em boa companhia... Então falo em outra ocasião!
?:0)
Um beijão!

Carlos Kurare

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...