terça-feira, 2 de julho de 2013

Vejo o infinito nos seus olhos...

Vi Galáxias nos seus olhos!

Quando o vento fresco fugia despercebido dos passantes,
E pela porta do cinema arrefecia o calor do corpo amante.
Eu olhei e vi no fundo do mundo dos seus olhos radiantes,
Que a luz de uma galáxia, perante eles, é mera coadjuvante!

Carlos Kurare

Sampa - 02/07/2013 00:56



Universo No Teu Corpo - Taiguara


Universo No Teu Corpo - Taiguara (com o próprio Taiguara a cantar)


Taiguara - Modinha


Taiguara - Viagem


Taiguara Chalar da Silva (Montevidéu, 9 de outubro de 1945 — São Paulo, 14 de fevereiro de 1996) foi um cantor e compositor brasileiro nascido no Uruguai durante uma temporada de espetáculos de seu pai, o bandoneonista e maestro Ubirajara Silva.
Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1949 e para São Paulo, posteriormente, em 1960. Largou a faculdade de Direito para se dedicar à música. Participou de vários festivais e programas da TV. Fez bastante sucesso nas décadas de 60 e 70. Autor de vários clássicos da MPB, como Hoje, Universo do teu corpo, Piano e viola, Amanda, Tributo a Jacob do Bandolim, Viagem, Berço de Marcela, Teu sonho não acabou, Geração 70 e "Que as Crianças Cantem Livres"; entre outros.
Considerado um dos símbolos da resistência à censura durante a ditadura militar brasileira, Taiguara foi um dos compositores mais censurados na historia da MPB, tendo cerca de 100 canções vetadas. Os problemas com a censura eventualmente levaram Taiguara a se auto-exilar na Inglaterra em meados de 1973. Em Londres, estudou no Guildhall School of Music and Drama e gravou o Let the Children Hear the Music, que nunca chegou ao mercado, tornando-se o primeiro disco estrangeiro de um brasileiro censurado no Brasil. fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Taiguara

4 comentários:

Lina Maria disse...

Estive observando o cuidado meticuloso de Taiguara ao compor suas belas músicas.
Que arranjo maravilhoso!!!
Amo músicas orquestradas!!!
Achei tão linda a postagem de hoje...imagens do universo,letras belíssimas e uma mensagem de amor nas entrelinhas...algo do tamanho do infinito!!

E por falar em orquestramento de sentimentos...um presente para você, na belíssima voz e interpretação de Jane Monheit.

http://www.youtube.com/watch?v=hHiyHV5ozsg

"Since You've Asked"

"Uma vez que você pediu"

O que eu vou te dar
Já que você perguntou
É todo o meu tempo juntos
Viva os dias ensolarados acidentados
O clima quente e rochoso
Pegue a estrada que eu caminhava
Olhando para o tempo, amanhã
A paz de espírito -

Como sua vida derrames em minha
Mudando com as estações do ano
Enchendo o mundo com o tempo
A alteração do tempo de fundamentação
Eu posso mostrar-lhe todas as canções
Que eu nunca cantei para alguém antes.

Temos visto um milhão de estrelas
Mentir pela água
Já escalei as montanhas contigo
Para o abrigo de montanha
Tirando os dias
Um por um
Definindo-los a respirar
Ao sol.

Pegue os lírios e as rendas
Desde os dias da infância
Todos os caminhos sinuosos do salgueiro
Levando para cima e para fora
Isso é o que eu dou
Isto é o que eu lhe peço"

Que paz dá ouvir e sentir esta música!!
Um beijo, poeta!



Carlos Kurare disse...

Verei o vídeo Lina!

Parabéns pela sensibilidade com a qual ilustra e lustra seus comentários!
Um beijo a comentarista mais presente no blog!

Lina Maria disse...

Obrigada pelo carinho, Mr.Kurare!
Quanto à sensibilidade...sou, aqui e acho que por onde ando, apenas o reflexo do que recebo.
Lembrei de Neruda:
"Se sou amado, quanto mais amado, mais correspondo ao amor,
se sou esquecido, devo esquecer também, pois o amor é feito espelho:
-tem que ter reflexo."

Um beijo, querido poeta!

Carlos Kurare disse...

Lina...
Grande frase essa do Neruda!
Obrigado por nos brindar com ela!
Um beijo!

Muito além de um jardim!

Flor cuidada por mim Flor Amorosa Num belo dia desejei só para mim Mulher amorosa e decente E como jardineiro diligente Semeei a...